AS BODAS DE CANÁ DA GALILÉIA

AS BODAS DE CANÁ DA GALILÉIA

I.E ; Foi exatamente neste local que Jesus dera início ao seu ministério. Numa festa de casamento, de um casal até então desconhecido, mas, cuja experiência vivida na ocasião que celebraram seu matrimônio, traz-nos profundas lições sobre a saúde da instituição que desde o Éden tem multiplicado-se, e, subsistido até os dias atuais.
1° É imprescindível no ato da consituição do matrimônio, convidarmos a Jesus para fazer parte dessa celebração, tendo vívida a certeza que, independente do nível social a que pertença o casal,
uma vez que o convite a Jesus for feito do âmago da alma, ele aceitará e se fará presente;
2° É, de igual modo, importantissímo observar que, a presença de Jesus no casamento não impediu que o vinho viesse a faltar. Sendo assim, podemos analisar de forma racional, que um casal cristão não está plenamente isento de momentos instáveis no casamento;
3°Porém, há uma convicção arraigada em nossos corações que, quando o vinho faltar a presença de Jesus nos preservará a esperança que, há alguém próximo a nós que não perdeu o controle, e quando parecer que nosso planejamento está prestes a ruir, ao olharmos pela fé para Jesus, nossos olhos o verão pronto para se revelar, e mostrar que, quando todas as coisas fugirem do nosso controle, ele ainda o tem em suas mãos;
4°E, ainda, a certeza que, ao terceiro dia, quando o vinho acabar, e não houver mais nenhum indício de alegria, e o silêncio tornar-se presságio de falência conjugal, Jesus terá consigo o segredo do milagre para um casamento provar do renascimento, um vinho novo, sobremodo excelente, infinitamente superior ao primeiro, prova veraz que, se convidarmos Jesus para o nosso casamento, poderemos até enfrentar crises, mas certamente após estas, quando as ondas bravias cessarem, os ventos se tornarem em brisas de primavera exalando o perfume das flores apontando para o começo de uma nova estação , este vínculo estará mais sólido e mais profundo,
surpreendendo a todos os que nos cercam;
5°A operação desse milagre tende a confirmar que, em Jesus o melhor sempre estará oculto , dissera o apóstolo Paulo....em quem estão escondidos todos os tesouros...
E, o fato de Jesus guardar o melhor para o pós-crise, indica que o melhor dele só desfrutaremos com o passar do tempo, tempo em sua presença, tempo convidando-o para nossos banquetes particulares, para nosso círculo de intimidade, com muita oração e noites, madrugadas em sua presença. Jesus, sendo Deus já antevia que em pouco tempo aquele casamento teria necessidade de vinho, entretanto não se antecipou, para que o seu vinho não se tornasse imperceptível aos paladares, pois somente exímios degustadores de vinhos são aptos a discernir os gostos. Não que o vinho de Jesus fosse comum, mas no auge da embriaguez do primeiro vinho, tipificada pela alegria terrena, não se daria o valor devido ao vinho novo. Entretanto, quando a notícia ecoa que o vinho havia acabado, então subitamente a alegria se dissolve, há uma breve lucidez, e, então Jesus ordena que se leve a primeira talha ao mestre sala, pois sua avaliação seria de grande valia, a prova viva que muito mais que tradições judaicas, os primeiros a provarem do milagre são os que tem discernimento espiritual, e ainda; embora o milagre seja uma intervenção diretamente para a preservação da festa, existem pessoas que são abençoadas somente por estarem ao nosso redor, pois no caminho do nosso milagre Jesus permitirá que provem um pouco do que a nós ele tem outorgado;
6° Observe as classes de pessoas citadas nesse fato;
o casal;
maria;
os servos;
o mestre-sala;
os convidados;
os discípulos;
Quando Jesus se revela, a ordem começa pelos servos, os menores da casa. Jesus não faz um show da fé perante os convidados ilustres, mas quem primeiro vê o milagre ; os servos. O nível de intensidade do milagre foi maior nessa classe,pense como não foi, ver aprox .500 litros de água mudar de cor, sabor, e exalar um aroma suave, certamente para muitos Jesus foi mais um provedor de emergência na festa, mas, para estes,Jesus foi a manifestação da glória de Deus.
Esta categoria não precisou provar, pois o efeito foi gerado na alma, sentiram exalar o perfume de Cristo.
Certamente todos deleitaram-se por horas nas delicías do vinho novo, mas, esta é a única passagem do N.T, que os servos são os primeiros a contemplarem o milagre.