7 meses depois Irã confirma que matou 176 passageiros

Após 7 meses de omissão da verdade, protestos em todo Mundo, em especial na Ucrânia, não havia mais como o governo ditatorial do Irã esconder a verdade nua e crua, foram eles que derrubaram um avião civil matando 176 passageiros e tripulantes, ninguém sobreviveu.

A Organização de Aviação Civil do Irã divulgou somente hoje o que já éra mais que óbvio, um relatório sobre a queda do avião ucraniano em Teerã, dizendo que a Guarda Revolucionária derrubou acidentalmente o avião como resultado de bateria de mísseis não intencionais e falta de comunicação entre soldados e seus comandantes.

O incidente ocorreu após o assassinato de Qassem Suleimani, em que a força terrorista Quds, comandada por ele, estava em alerta por um contra-ataque nos EUA, todos os 176 passageiros do avião foram mortos. No Irã tentaram omitir, desviar a atenção internacional e até mesmo alegar que não havia dados na caixa preta, mas ninguém precisa de dados para saber o que era mais que óbvio. O Exército Iraniano pode ameaçar o Mundo, mas é sem dúvida algum um dos mais amadores do planeta. Nenhum exército pode ser justo, humano e transparente quanto está debaixo de ditadura.

A única coisa que era esperada é que a declaração fosse realizada muito antes, e que as famílias das vítimas fossem indenizadas o quanto antes. É verdade que nada poderá reparar a dor da perda de cada um deles, mas as indenizações é o mínimo de justiça que pode ser feito.