75 anos após holocausto, Igreja Luterana continua firme no anti-semitismo

A Igreja Evangélica Luterana da América (ECLA) se manifestou contra o plano de Israel de anexar partes da Cisjordânia em uma série de artigos publicados em seu site, um dos quais acusa adicionalmente Israel de ter participado do assassinato de George Floyd.

O comentário foi feito em um artigo que mencionava uma carta que a ECLA, juntamente com outras 26 igrejas, enviou ao congresso dos EUA em oposição ao plano de anexação. A carta exigia que o governo dos EUA não fornecesse fundos para o reconhecimento, facilitação ou apoio à anexação.

“O Rev. Rafael Malpica Padilla, diretor executivo da Missão Global da ELCA, disse que é preciso estar ciente da conexão entre as táticas repressivas do governo de Israel contra os palestinos e as que estão ocorrendo contra pessoas de cor em várias localidades nos Estados Unidos”.

Na carta que a ECLA enviou ao congresso dos EUA, o Rev. Padilla escreveu: “Como foi relatado, o tipo de tática da polícia usada para matar George Floyd está entre as que foram ensinadas a vários departamentos de polícia que participaram em treinamento pela polícia e forças militares israelenses.

Obviamente que a declaração deste pastor é totalmente demoníaca, e não há nenhuma prova e base legal para afirmar que os policiais americanos receberam treinamento em Israel. Além disso, os policiais americanos de uma forma geral, são muito mais violentos do que os israelenses.

O tal Rev. Padilla usa como “prova” a seguinte declaração, “Por exemplo, 100 policiais de Minneapolis receberam treinamento de Israel contra o terrorismo em uma conferência realizada em 2012”. Pois é gente, por falta de informação, as pessoas podem até acreditar nele, mas não se fazem treinamentos em “conferências”, treinamentos são feitos em cursos, e cursos tem longo prazo. Misturar treinamento anti-terrorismo com brigas de ruas e manifestações civis americanas é simplesmente algo leviano e demonstra a teologia malígna da substituição e do anti-semitismo, ambos regentes na Igreja Luterana desde do Holocausto.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a liderança da Igreja Luterana não somente não se opôs as atrocidades de Hitler contra os Judeus, mas foi exatamente as palavras de Lutero contra os judeus, durante a reforma protestante, que deu base moral aos alemães para levarem adiante o maior crime jamais cometido contra a Humanidade.

De acordo com a página da ECLA, a carta para o congresso foi iniciada pelas Igrejas pela Paz no Oriente Médio em conexão com a campanha #Igrejas contra a Anexação, ou seja, a motivação real é o apoio direto aos palestinos, e o anti-semitismo que apregoa a exclusão do Povo de Israel do direito a sua terra, fazendo isto, esta falsa igreja está abrindo para si mesma as portas do inferno, pois está se opondo as promessas do Eterno ao Povo Judeu. A Igreja Luterana prefere continuar se alinhado aos inimigos de Israel, e por consequência, a Satanás, do que ao Povo de Israel, as promessas feitas a Abraão e ao Deus de Israel.

Fonte: Jerusalem Post

4 comentários em “75 anos após holocausto, Igreja Luterana continua firme no anti-semitismo”

  1. Shalon amado em Cristo Miguel !
    Absrudo esse posicionamento e só poderia mesmo ser SATÂNICO, a Biblia já nos alerta que ‘até os escolhidos (?) seriam enganados – ótima matéria continua escrevendo assim com intrepidez. Saudações da Bispa Maria que tanto lutou no joelho orando nas madrugadas para que Terras Bíblicas não fossem surrupiadas do Povo Escolhido para entregar a Onu aos que não são donos delas – Alelúia pela ANEXAÇÃO que é a realização do que eu pedia ORANDO Gen 12:3

  2. Shalom Miguel, vê-se que esse pastor leva ovelhas ao matadouro; acende uma vela pra Deus e duas pro diabo.

  3. É LAMENTÁVEL.CONTRADITÓRIO, UMA IGREJA CRISTÂ SE POSICIONAR DESTA MANEIRA EM ASSUNTO TÃO DELICADO. EM PRIMEIRO LUGAR NEM DEVERIA SE ENVOLVER COM QUESTÕES POLÍTICAS. TAL POSICIONAMENTO SÓ IRÁ TRAZER MAIS PROBLEMAS,DEVERIAM PREGAR A PAZ .SE ELES NÃO CONTRIBUEM COM A PAZ PARA ISRAEL.TAMBÉM NAÕ ESTIMULEM A GUERRA.DEVIAM REPUDIAR O ANTI-SEMITISMO, NÃO DEFENDER. A OBRIGAÇÃO DO CRISTÃO É ORAR PELA PAZ PARA TODOS.

Os comentários estão encerrado.