87 mortos em Oslo, o preço do isentivo ao terrorismo.

Oslo, a capital norueguesa que até os dias atuais foi simbolo do maior erro da diplomacia Mundial, em uma nação que apoiava a política terrorista de Yasser Arafat e condenava todo ato de resistência de Israel agora foi vítima justamente da tendência que apoiava, o terrorismo como instrumento legítimo contra os governos democráticos que se recusam a negociar com radicais.

Quem vive em Israel não pode estar apático mediante do ocorrido ali, muito diriam “coitados”, muito “bem feito, eles merecem”, mas o que eu como conhecedor das escrituras diria? Eu diria que jamais devemos justificar o uso da maldade(terrorismo) para pregar a liberdade de alguém, ou a independência de um povo.

Terror chama terror, guerra chama outra guerra, ódio chama mais ódio e tudo gera a destruição.”O ódio excita contendas, mas o amor cobre todos os pecados.” Prov. 10:12
“As rapinas dos ímpios os destruirão, porquanto se recusam a fazer justiça.” Prov. 21:7

“E acontecerá naquele dia que farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a carregarem certamente serão despedaçados; e ajuntar-se-ão contra ela todo o povo da terra” Zac. 12:3

Mediante a este textos tão claros nas escrituras, creio que não somente a Noruega, mas todas as nações do Mundo devem vigiar a respeito de suas posições contra o Povo de Israel, a menina dos olhos do Senhor, pelo que está escrito:

“E acontecerá naquele dia, que procurarei destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém” Zac. 12:9

Porém de Sião sai a oração “Quem o Senhor tenha misericórdia das famílias das vítimas na Noruega, trazendo-os o consolo e suprindo suas necessidades, e ao governo norueguês o discernimento para abandonar o apoio aos extremistas palestinos e muçulmanos radicais que buscam pelo sangue de judeus no mundo inteiro. Caiam as escamas dos olhos de todos os líderes mundiais e se rendam mediante as profecias e promessas do Deus de Israel.

Quando terroristas palestinos explodiram nossos restaurantes lotados, hotéis, ônibus e mercados públicos, onde milhares de israelenses inocentes perderam suas vidas em vão, enquanto os palestinos festejavam a morte, a maldade e crueldade sem proporções. Enquanto os israelenses recolhiam os restos dos corpos das vítimas espalhados por todos os lados, foram os noruegueses que ousaram muitas vezes, ao invés de se levantarem contra o terrorismo e a maldade, se colocaram contra Israel pregando de que o Estado de Israel, “que é o dominador” é quem é o responsável por tanta maldade e deve ceder as condições palestinas de PAZ, que PAZ?

E agora, a quem culparão o Governo da Noruega pela crueldade realizada contra eles e que levou a 87 mortes de inocentes? Sim as vitimas são inocentes porém o governo norueguês não, ele é culpado de ignorar as lágrimas das milhares de famílias de Israel que perderam seus queridos, apoiando a violência muçulmana radical, o câncer que se instalou na humanidade que poderá levá-la a auto-destruição. Você sabia que onde morre um sheikh muçulmano, e onde ele é sepultado, segundo as leis islâmicas é um lugar santo, mesmo não importando se ele era um pedofílico que se casa com crianças de 10 ou 12 anos como é o costume deles na península arábica? Você sabia que quando qualquer lugar se torna santo baseado nestes critérios eles como muçulmanos têm direito e obrigação de conquistar a nação e instalar alí mesquitas por todos os lados? Este é o motivo pelo qual para eles até países como o Brasil e os EUA deverão ser conquistados e dominados por eles, mas cedo ou mais tarde, esta doença cancerígena se chama Islamismo Radical.

Creio que o radicalismo e a justificação democrática de dar direitos mesmo a este tipo de corja que utiliza a democracia somente em benefício próprio e contra a liberdade das nações ocidentais é o maior perigo aos governos do mundo livre, afinal, aquilo que aparentemente é socialmente correto se torna uma grande armadilha que acaba prendendo os próprios caçadores.

Com a falsa ideologia de defenderem a “minoria” árabe nas terras de Israel, baseados na força de destruição e na crueldade do terrorismo, financiados pelo petro-dóllar dos campos de petróleo de todo o Oriente Médio e pela filosofia marcial iraniana, os palestinos chegam a reivindicar um estado para um povo que nunca existiu. Eu pessoalmente já perguntei alguns de meus colegas de trabalho palestino qual a sua origem étnica, a a resposta foi variada, são árabes, sírios, egípcios, libaneses, curdos, druzos, marroquinos, líbios, sudaneses e etc, muitos ironicamente têm em sua família parentes judeus israelenses enquanto eles são muçulmanos e cristãos árabes.

Agora, este error da justificação do radicalismo palestino e da repreensão do governo democrático israelense está se tornando um preço altíssimo aos governos ocidentais, segue adiante somente alguns dos muitos atentados a ordem realizados por minorias: EUA Atentado de 11 de Setembro, Londres Atentados nos Metros, França Protestos dos Argelinos, e agora, na Noruega 87 mortos, atentado de um extremista direitista que resolveu se vingar de seu governo liberal.

O número de atentados terroristas realizados por muçulmanos radicais somente nos EUA desde 1977 chega a 43 atentados, muito superior a qualquer outro setor envolvido com terror no Mundo. Enquanto o mundo se calar e todas as nações não se unirem contra todos que o utilizam como instrumento de separação, reivindicação ou qualquer outro objetivo, enquanto não houver uma punição severa e radical, milhares de inocentes no Mundo continuaram a prederem suas vidas por nada, somente pelo ódio gratuito de mentes tão primitivas e incapazes de dialogaram sem o uso das armas ou explosivos.