A Farsa Palestina

Curso Herança Judaica do Novo Testamento
Morte de Menino Palestino foi Encenada

“Esta é uma vitória esmagadora, eu estou feliz” – disse hoje (quarta-feira) ao Jornal Maariv Dr. David Yehuda, o médico que tratou o menino pai do menino palestinos, Mohammed Adura – em resposta a uma completa convicção de difamação e exoneração dura de seu crédito como médico, e pôs fim ao caso que começou em 2008, quando o Dr. Judah foi acusado em uma entrevista a um jornal francês. Jamal A-Dura, o pai do menino alegou que os motivos das feridas foram tiros disparados por soldados israelenses no incidente em Tze’elim no ano 2000, na verdade, oito anos antes. A-Dura teria ficado ferido em outro incidente entre facções de palestinos.

A convicção de Dr. Yehuda foi quebrada em 30 de Abril de 2011, quando a corte francesa, por causa de uma entrevista com o Dr. Yehuda a revista judaica semanal “Aktuelita Z’oayeb” em 2008 o condenou por calúnia e difamação. Hoje o Tribunal de Recurso de Paris, aceitou o apelo da convicção de que ele mesmo tinha tratado das feridas. Dr. Yehuda tratou da mão direita do pai levou que ficara paralisada, estas feridas já existiam desde 1992 em que ele próprio havia tratados e analisado. Segundo o Dr. Yehuda, as feridas estão completamente fora do famoso incidente em Tze’elim 2000, mas ocorreram em outro incidente, oito anos antes.

Dr. Yehuda Davi disse ao Maariv, em resposta à absolvição “, que o corpo anterior aos juízes era conhecido como anti-sionista e anti-Israel e muito esquerdista. O Supremo Tribunal Federal convocou uma composição diferente, com juízes mais moderado e elquilibrados e menos agressivos, e eu apresentei a minha linha, discutimos o assunto cientificamente, que na verdade todos os documentos médicos mostram que A-Dura passou por uma cirurgia em Tel Hashomer(Região de Tel Aviv), em 1994, quando uma grave lesão sofrida em 1992 quando foi fuzilado pelo Hamas na mão direita . O hospital tentou ajudar corrigindo e falhou, eu tinha sido transferido para a enfermaria cirúrgica e consegui realizar um implante de um tendão do pé esquerdo que foi introduzido na mão esquerda “, diz Dr. Judah.

Dr. Yehuda declarou: “Se eu foi inocentado, isto quer dizer que minhas informações são verdadeiras, isso significa que eu estava dizendo a verdade e isso significa que as feridas de A-Dura ocorreram realmente de 1992 e todas as feridas que o pai do menino apresentou não são o resultado de disparos dos soldados da FDI e que le havia mentido para os meios de comunicação.”, Tudo na realidade foi uma produção cinematográfica dos palestinos para justificar o início da Intifada de 2000.

“Apartir de hoje, todos os palestinos quiserem fazer propaganda falsa racial e nazista anti-Israel vão me encontrar pelo caminho. Eu abri uma página do Facebook com o meu nome com apoio do Ministro das Finanças Steiinitz apoiando uma campanha em favor dos soldados e do Estado de Israel. Eu quero aceitar doações para ajudar legalmente qualquer um contra quem alegaram difamação, e eu vou processar todos os palestinos por mentir sobre casos semelhantes.”

Dr. Yehuda diz que “O YouTube tem outros dois casos semelhantes de reivindicações contra soldado israelense, em outros casos são “vistos” soldados supostamente pulverizando uma família inteira que obviamente foi tudo encenado. Queremos processar os responsáveis ​​por crimes contra a humanidade “.

Finalmente, concluiu Dr. Judá: “Eu quero enfatizar que o ministro de Assuntos Estratégicos Moshe Ya’alon me ajudou o tempo todo e me apoiou o tempo e muitos israelenses me ajudaram e compreenderam a importância suprema de relações públicas globais”.

Dr. Yehuda acrescentou que no próximo domingo vai apresentar para o governo e para o ministro da Justiça Yaakov Neeman um pedido de assistência financeira para as despesas legais. “Será muito mais fácil de prestar assistência financeira após a aprovação do Ministro, eu quero essa assistência”, esclareceu ele.

Esta é um grande vitória jornalistica, judicial e diplomática para o Estado de Israel.