Alemanha volta a preferir os anti-semitas aos judeus, simplesmente vergonhoso

Mais uma vez o governo da Alemanha e suas autoridades estão escolhendo e acolhendo o mal ao invés do bem. Agora em forma de “preocupação” com a segurança dos judeus, o próximo passo não será mais um pedido, mas sim uma proibição.

Se a Alemanha voltar aos erros dos dias pré Segunda Guerra Mundial, a vida no país poderá se tornar insuportável, primeiramente para os judeus, mas depois, para os próprios alemães, pois o inferno islamista tomará conta do país.

O mais vendido diariamente na Alemanha e na Europa, o Jornal “Bild”, fez um gesto especial para a proteção da vida judaica na Alemanha logo após o pedido do comissário do governo para combater o anti-semitismo, para não usarem a Kipá em todo o país.

Ao lado editorial nominado “a Kipá pertence à Alemanha”, o jornal em edição impressa na segunda-feira vai imprimir uma Kipá de papel que poderá ser cortada e usada sobres as cabeças em solidariedade com os judeus na Alemanha.

Presidente Reuven Rivlin fez um pronunciamento em relação a recomendação do comissário e disse que o pedido dele, descrevendo uma realidade em que os judeus não podem mais usar uma Kipá em todo o país, temendo pela sua segurança, deixou-o profundamente chocado.

A responsabilidade pela segurança, liberdade de expressão e liberdade de crença dos membros da comunidade judaica na Alemanha é das autoridades responsáveis ​​pela aplicação da lei e do Governo alemão.