Austrália: Assassino de israelense foi condenado a 36 anos de prisão

Mais uma vez, o crime não compensa. Na Austrália, um homem foi condenado a 36 anos de prisão pelo assassinato e estupro de uma estudante israelense na cidade de Melbourne.

A juíza da Suprema Corte Australiana, do estado de Victoria, Elizabeth Hollingworth, condenou nesta terça-feira que Codey Herrmann cumpra pelo menos 30 anos atrás das grades por seus crimes contra Aya Maasarwe, uma jovens israelense de 21 anos, em janeiro deste ano.

Herrmann se declarou culpado por espancar Maasarwe repetidamente com uma barra de metal, agredindo-a sexualmente e incendiando-a durante o ataque.

A Juíza, Elizabeth Hollingworth disse: “As mulheres devem ser livres para andar pelas ruas sozinhas, sem medo de serem violentamente atacadas por um estranho”.

Aya Masarwe, uma jovem árabe israelense da cidade de Baqa al-Gharbiyye, estudava na Universidade La Trobe, em Melbourne, nos últimos cinco meses, como estudante de intercâmbio da Universidade de Xangai, na China.

Acho vergonhoso que ele tenha sido condenado a passar 36 anos de prisão, este tipo de crime hediondo deveria ser no mínimo prisão perpétua e seus bens deveriam ser vendidos e a renda entregue a família da vítima, isto é o mínimo que moralmente deve ser feito para aliviar o sofrimento de qualquer família.

Pelo visto, Israel é o lugar mais seguro do Mundo para o judeus, e também para a população árabe que vive aqui.