Benjamin Netanyahu reuniu-se com Donald Trump

Mais uma vez o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu reuniu-se com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O encontro foi nesta segunda-feira, Esta já é a quinta reunião neste ano.

Durante as declarações conjuntas, o Presidente Trump advertiu que não haverá paz se os palestinos se recusarem a voltar à mesa de negociações.

A recusa dos palestinos em negociar sem condições prévias é uma longa história desde que o território foi abandonado pelos jordanianos e conquistado por Israel.

A reunião ocorreu quando em Israel está ocorrendo um desenvolvimento dramático nos escândalos de corrupção envolvendo o Primeiro Ministro Benjamin Netanyahu.

O presidente e sua esposa, Melania, cumprimentaram Netanyahu e sua esposa, Sara Netanyahu do lado de fora da Casa Branca em Washington.

Logo após os dois líderes fizeram comentários sobre a transferência da embaixada dos EUA para Jerusalém neste próximo mês de Abril de 2018.

Donald Trump se orgulhou de poder cumprir a promessa de que não haveriam exageros nos gastos para viabilizar a transferência:

“Eu disse que não vamos gastar um bilhão de dólares. Estamos realmente fazendo isso por cerca de US $ 250.000 “, declarou Trump aos meios de comunicação.

Trump também reafirmou que “ninguém poderá negociar Jerusalém, nós a tiramos da mesa de negociações”, acrescentando que ele acredita que os palestinos tencionam não voltar à mesa de negociações”, e se não fizerem, não haverá paz”.

Netanyahu comparou o reconhecimento do  Presidente Donald Trump de Jerusalém como a capital de Israel como o ato de Ciro o Grande, que acabou definitivamente com o exílio dos Judeus na Babilônia, junto com a Declaração de Balfour e o reconhecimento de Harry Truman sobre o Estado de Israel em 1948.

Netanyahu e Trump devem discutir o ultimato dos EUA para os poderes europeus sobre o acordo nuclear do Irã durante a reunião. Em janeiro, Trump anunciou que, se os Estados Unidos e os países europeus não conseguissem chegar a um acordo sobre a alteração do acordo, Washington iria embora.

Além das questões ligadas ao Estado de Israel e a transferência da Embaixada dos Estados Unidos para Jerusalém, ambas as autoridade trataram de outros assuntos muito importantes. Entre eles a questão do Programa Nuclear do Irã e a retomada do enriquecimento de urânio pela Coréia do Norte. A Coréia do Norte e o Irã são aliados no terrorismo mundial. A Coréia fornece armamento e combustível nuclear para o Irã. A grande questão é se o Mundo Ocidental terá coragem e disposição de tomar atitudes dramáticas contra estes dois países que põe em risco a paz Mundial.

Foto e Fontes: Israel GPO, YnetNews, MakorRishon and IsraelHayom