Comissão de Direitos Humanos institucionalizou o anti-semitismo

Como já temos falado a quase uma década, a Comissão de Direitos Humanos já transformou suas assembléias em um circo armado, os bobos da corte são os palestinos, o sírios e os iranianos, e o bode expiatório é o Estado de Israel. Não importa se milhões foram exilados pelos crimes hediondos de Bashar Al-Assad, e centenas de milhares exterminados a mando dele. Não importa se a China está prestes a massacrar Hong Kong, não importa de o NEPAL já é oprimido e seus cidadãos massacrados por dezenas de anos, as igrejas são incendiadas e os cristãos perseguidos e massacrados por milícias muçulmanas na África, o assunto na comissão e as represarias são dirigidas somente contra Israel.

Se não fosse o Estado de Israel, os árabes da Judéia e Samaria nem se quer teriam água para beber, não teriam eletricidade, estradas, acesso a saúde, e nem mesmo como ganhar a vida. O que a grande maioria das pessoas não sabem é que todos os dias mais de 100 mil palestinos, entram em território israelense para ganhar salário mínimo, o que é 10 vezes mais do que o salário na AP, garantindo assim o sustento de suas família. Se um dia, o Estado de Israel resolver fechar a torneira, os árabes definharão.

Em seu discurso mais recente ao Conselho, com o fim de seu papel como representante de Israel nas instituições da ONU em Genebra, Raz-Schechter removeu a máscara diplomática e ofereceu ao Conselho, conhecido por sua hostilidade a Israel, o que ela realmente pensa.

Depois de analisar a ajuda israelense aos palestinos para lidar com a crise de Coronavírus, ela observou que o enviado da ONU ao Oriente Médio Nicolas Maldinov elogiou as ações e a cooperação israelenses entre as partes. Na história de ser vítima – como tem sido nos últimos 72 anos.”
Raz-Schechter enfatizou que, apesar das tentativas de exterminar Israel desde a sua criação, que ainda estão em andamento, “Israel construiu um estado moderno, uma nação start-up, uma sociedade dinâmica e pluralista, uma forte democracia imbuída do Estado de Direito e da proteção dos direitos individuais. , Incluindo os de minorias religiosas. Um país que anseia por paz com seus vizinhos “.

Mas os líderes palestinos e Árabes continuam com seu velho discurso antisemita e de apartheid que não existe, o único e verdadeiro apartheid e anti-semitismo que existe é o dos árabes contra os judeus que não podem entrar e sair livres de nenhuma aldeia árabe ou país árabe vivos se não estiverem sendo escoltados. Está mais que na hora de Israel assumir o que tem de direito a milhares de anos, a Terra de Israel.

1 comentário em “Comissão de Direitos Humanos institucionalizou o anti-semitismo”

  1. Shalom, aqui é o Professor Adriano curti muito seu site, notícias que nos mantém mas perto da terra santa, #Pazparaisrael

Os comentários estão encerrado.