Como Irã tentará acabar com a paz entre Israel e Emirados

A fórmula iraniana para manter a chama do conflito na região já tem funcionado e com sucesso fazem décadas, jorrando dinheiro do contribuinte iraniano nas ruas de Beirute e de Gaza, Irã se prepara mais uma vez para um confronto subliminar contra os judeus e o Estado de Israel, e normalmente vence esta guerra.

Todos nós sabemos que não há exército no Oriente Médio, por mais esforçado, equipado ou preparado que seja, que realmente pode fazer frente as Forças de Defesa de Israel. Isto não se deve ao poderia de fogo do Estado de Israel, nem mesmo por causa de seus equipamentos ou força humana, mas sim por dois fatos muito importantes.

O primeiro fato, e creio, o mais importante de todos é que Israel é guardado pelo Eterno, afim de cumprir neles as suas promessas, feitas a Abraão a cerca de 4000 anos atrás, trazendo a todos os que creem, a redenção.

O segundo fato e não menos importante, é o fato de que todas as outras nações lutam com a intensão de agredir, de destruir, de eliminar o Povo de Israel em sua terra de direito. Quando os egípcios avançaram contra Israel, chegando aos subúrbios centrais de Israel, seja 30 km de Tel Aviv, seja 10 km de Jerusalém em 1948, eles acabaram por recuar, estavam longe demais de sua casa, estavam lutando por uma terra que não é deles, e contra um povo que nenhum mal tinha lhes feito.

Quando os jordanianos lutaram contra Israel em 1948 e em 1967, eles também não estavam lutando contra os judeus por sua terra, historicamente os árabes e beduínos sempre tiveram como lar, o além do Jordão. Eles estavam lutando no desconhecido contra um povo que sabem que tem o verdadeiro direito a terra, e isso o próprio Coran diz para eles. O mesmo ocorreu com a Síria, com a Líbia e até mesmo com o Iraque, que se envolveram em guerras sem sentido e sem uma relação real com seu povo.

A Estratégia da Mentira

A liderança da República Islâmica do Irã sabe que uma ameaça concreta e radical contra o Estado de Israel, poderá significar muito mais o seu fim do que o fim dos judeus israelenses.

A estratégia número um de Satanás e da Liderança do Irã é a mesma, a mentira, incentivando os árabes que vivem na região de Gaza, Judéia e Samaria, a acreditarem que este é o lar deles, mesmo sabendo eles que sua grande maioria é oriunda do Egito, da Síria, da Jordânia e até mesmo da Líbia, Tunísia, Arábia Saudita e outros países da região.

A promessa Iraniana de que eles estarão ao seu lado caso Israel ataque brutalmente para conter o terrorismo é mais uma mentira, pois o Irã nunca interrompeu ou atacou Israel em prol dos palestinos. Afinal de contas, quem tem telhado de vidro não deve jogar pedras na casa dos outros. Somente estes que se auto-denominam palestinos é que ainda não entenderam que quem sempre sai perdendo são eles. O povo e o governo iraniano sempre sairão ilesos estando a mais de mil quilômetros de distância do conflito.

A Estratégia do Terrorismo

Irã não pode atacar diretamente o Estado de Israel, não tem poderia e nem mesmo vontade de entrar na lama do Oriente Médio sabendo que o Mundo inteiro irá contra eles, que já estão afogado de sanções e não querem atrair as aeronaves do ocidente contra suas cidades.

Então Irã financia com o dinheiro do contribuinte, três frentes contra Israel a primeira é através de munição e armamento estratégico para o Hamas, em Gaza. O segunda frente é através de treinamento, armamento estratégico e salários, o Hezbollah, no Líbano. E a terceira forma é através da guerra cibernética e nas redes sociais, para elevar o ódio contra os judeus e o Estado de Israel.

A Estratégia do Sangue

Esta talvez seja a mais cruel e pior das estratégias, não somente do Irã, mas do Hezbollah, do Hamas e de qualquer outro grupo terrorista no Mundo. Assim como Satanás deseja o sangue de ímpios e inocentes derramados, da mesma forma os grupos terroristas e a ditadura do Irã se alimenta disso. Ou seja, no caso de um conflito entre Israel e Gaza, o que realmente interessa a eles, é quantas imagens de sangue estes mostrarão nos meios de comunicação.

Neste caso, para aumentar o ódio, a insatisfação e a demonização de Israel, as três estratégias satânicas se unem em uma só. Ou seja, a mentira se repete o tempo todo nos meios de comunicação, com imagens até mesmo recicladas de outros conflitos em outras partes do Mundo, com o título falso de “veja o que Israel está fazendo”, os grupos terroristas começam a descarregar sua munição. Israel não pode ficar de lado vendo seus civis sendo feridos ou mortos, e então realmente se inicia uma operação militar.

Uma vez iniciada a operação militar, algumas imagens verdadeiras se juntam a milhares de outras falsas, então o circo está armado, a ONU e a Comunidade Internacional começam a pressionar o Estado de Israel. As ameaças dos outros países árabes da região se iniciam, entre eles Egito, Jordânia, Líbano, Síria, Arábia Saudita, Emirados, Qatar, e etc. As Forças de Defesa de Israel não conseguem se quer concluir os propósitos da operação, e é neste momento que países como os Emirados Árabes pulam a cerca de volta, em “defesa dos palestinos”, e isto pode ser o fim da idéia de uma normalização no Oriente Médio. Adeus plano de PAZ entre Israel e palestinos de Jared Kushner e Donald Trump.

3 comentários em “Como Irã tentará acabar com a paz entre Israel e Emirados”

  1. Irã é ardiloso como o próprio demônio.Israel não deve toscanejar nem se distrair pois uma fagulha pode desencadear muitos países árabes contra Israel de uma só vez.Aliás,por melhores que sejam as forças militares de Israel,o país existe porque o Eterno o proteja,cumprindo Sua promessa.
    “Estabelecerei em Sião o livramento e em Israel a minha glória(Is 46.13b).

Os comentários estão encerrado.