Déficit do governo de Israel chega a 39 bilhões de shekels

Curso Herança Judaica do Novo Testamento

O déficit orçamentário para 2012 foi muito maior do que o esperado e atingiu 39 bilhões de shekels, o equivalente a aproximadamente 25 bilhões de reais. Segundo as autoridades do tesouro nacional, “os dados são concretos e não deixam nenhuma escolha – serão grandes cortes no orçamento e aumento de impostos.” Como é que isto vai nos afetar e será que a classificação de crédito de Israel está em perigo?

“Não temos escolha, não importa quem será o ministro das Finanças, após as eleições haverão cortes orçamentários muito grandes e nós vamos pressionar para aumentar os impostos”.; Disse ontemaos meios de comunicação um alto funcionário do Ministério da Fazenda após as conclusões que o déficit de orçamento do Estado de Israel em 2012 subiu para 39.000 milhões (4,2% do PIB) – mais do que o dobro da meta estabelecida pelo governo: muitos decretos de benefício ao público serão cortados, incluindo o aumento de impostos, cortes de orçamento dos ministérios do governo.

O Ministério da Fazenda ontem sua primeira estimativa que pode também pôr em perigo a classificação de crédito Israel. Outros países têm sofrido recentemente com grandes déficits orçamentários, incluindo a Grécia, Espanha e França, fazendo com que as agências de rating de economia, venham a baixar os seus créditos.

Fora o déficit de 2012, o déficit em dezembro foi enorme, de quase 13 bilhões de shekels. Uma razão para o déficit nos ministérios foi o fato do governo não ter se limitado aos orçamentos, tentando conseguir o dinheiro no mês passado para evitar ter que mandá-lo de volta para o estado e fazer com que o tesouro reduzisse o orçamento no próximo período.

Além disso, uma desaceleração profunda da atividade econômica causou uma diminuição das receitas fiscais, de modo que surgiu um buraco fundo nas receitas.

Que o desvio do déficit em relação ao plano original do orçamento reflete principalmente os investimentos para população de baixa renda, que ficou em um total de 18,5 bilhões, maior do que o orçamento original de despesas previstas 2,2 bilhões.

O ministério da Fazenda recentemente formulou um amplo programa de cortes e aumentos de impostos. Um grande orçamento corta todos verbas de todos os ministérios do governo, incluindo a educação, bem-estar, saúde e segurança. “Nós não vamos cortar do Ministério da Ciência e do Ministério de Assuntos Religiosos”, disse um tesouro, “O que podemos cortar são 10 milhões dos orçamentos das maiores empresas estatais, sem o corte no Ministério de Defesa estaremos atingindo especialmente a população desfavorecida”