Dia dos Professores: Educando com excelência

Hoje é dia do Professor no Brasil, muitos estão comemorando, outro estão elogiando e muitos outros, continuam mesmo neste dia, simplesmente ensinando, então cabe-nos refletir um pouco sobre o assunto, e quem saber, dar um passo mais adiante, rumo ao verdadeiro propósito para o qual fomos criados.

Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra.
Gênesis 1:27,28

O Criador nos ordenou os dois primeiros mandamentos, mas a verdade é que pouco conseguimos entender sobre eles, sede fecundos em Hebraico é “Dar Fruto”, “Frutificar” e o segundo, acreditamos ser multiplicar, ou seja, geramos filhos. Mas o fato é que precisamos entender um pouco mais sobre este texto.

פְּר֥וּ וּרְב֛וּ וּמִלְא֥וּ אֶת־הָאָ֖רֶץ

Notem no texto acima dois sinais abaixo dos verbos no imperativo, Pru u’Ruvu, ou seja, Frutificai(פְּר֥וּ) e Multiplicai(רְב֛וּ), os traços desce e se inclinam para a esquerda, enquanto a frase se encerra com a palavra HaAretz, a Terra(הָאָ֖רֶץ) cujo sinal desce e se inclina para a direita.

Este texto com o teamim(sinais de pausas) massoréticos representam muito mais que uma pausa, eles demonstram que a ordenança é uma unidade gramatical, ou seja, cada um dos elementos não tem sentido sem o outro. Seguindo a ordem inversa das palavras, podemos entender que A Terra não tem sentido sem a Multiplicação dos Homens e Mulheres, um planeta vazio não serve para nada, não manifesta as obras do Criador.

Da mesma forma, uma Multiplicação de Homens e Mulheres não tem sentido sem uma Frutificação. Enquanto multiplicação é uma questão de números, de quantidade, frutificação é uma questão de qualidade, pois somente uma árvore saudável pode produzir frutos. Aqui podemos ver claramente que em primeiro lugar fomos gerados para sermos frutíferos, ou melhor, transmissores da verdade que recebemos do nosso Criador, e este sim é o verdadeiro propósito para o qual fomos criados.

Uma qualidade natural

Todos nós, de uma forma ou de outra somos mestres, mas não com títulos, pois eles de fato não fazem nenhum sentido, somos mestres naturais. Já ouví pessoas dizendo que não sabem ensinar, mas elas não tem menor idéia da besteira que estão falando. Todos ensinam, seja com palavras, seja com atitudes, seja aos gritos, seja com a mansidão, seja com didática, com orgulho, com os erros, ou com simplicidade e talento natural.

Maus políticos ensinam naturalmente que a corrupção é válida, bons políticos podem ensinar que a retidão é uma virtude desejada, outros ensinam a mentir, outros a omitir. Enfim, mesmo que não queiramos, estamos sempre ensinando alguém de alguma forma.

Agir ao invés de serem passivos

Mais do que nunca, neste dia do Professor ou Mestre, quero te incentivar a não deixar simplesmente seus dias passar, escolha agir a invés de se omitir. Pessoas que fizeram diferença não foram pessoas que se aguarraram aos títulos, ou as críticas, são pessoas que agiram, para mal ou para bem.

Ninguém lembrará de uma pessoa que apenas filosofou, que penas falou, que apenas pensou e deixou a vida passar. Mesmo entre os filósofos gregos, eles agiam, discutiam, escreviam, ensinavam, estando certos ou errados. Hoje eu quero de lembrar alguém que foi muito além, não somente falou, não somente ensinou, ele deixou o exemplo máximo de como verdadeiramente somos educadores, mestre e professores.

Yeshua(Jesus), escolheu o caminho do agir, como jovem mestre não requisitou aquilo que tinha de direito, o trono de Israel, pois ELE sabia que um verdadeiro Rei não se faz com sangue ou com exército, mas através da conquista da alma.

Ele nos ensinou quando lavou os pés dos discípulos e antes dos seus, ele os serviu na mesa antes de ser servido, ele alimentou milhares antes de matar sua fome, ele acalmou a tempestade não para se tranquilizar, pois dormia, mas para tranquilizar os discípulos.

Yeshua nos ensinou através da misericórdia, estendendo as mãos para o homem da mão ressecada, mesmo sabendo que seria condenado. Ele permitiu a curada da viúva mesmo sabendo que seria criticado. Ele andou sobre as águas para ensinar a Pedro a importância de crer. Ele expulsou a legião de demônios para ensinar misericórdia quando ninguém mais era capaz pelo medo. Ele curou os leprosos para ensinar que não se pode contaminar alguém puro de coração, mas que a pureza de coração pode limpar até mesmo os leprosos.

O verdadeiro mestre é o que serve

Por fim Yeshua nos ensinou acima de tudo que ser mestre ou professor não é um título, não nos torna uma pessoa privilegiada, renomada. Pois o verdadeiro mestre não é aquele que pensa ser alguém acima da média, alguém que estudou muito para exercer a função, alguém que tem direitos especiais, salários altos, recompensas ou simplesmente o privilégio de ser chamado de Mestre ou Professor. O verdadeiro mestre é aquele que é capaz de se despir de tal forma, pois como podemos ensinar aos outros se não sabemos se colocar em seu lugar ou até mesmo abaixo deles?

Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi(mestre); porque um só é o vosso Mestre, e todos vós sois irmãos. E a ninguém sobre a terra chameis vosso pai; porque um só é o vosso Pai, aquele que está nos céus. Nem queirais ser chamados guias; porque um só é o vosso Guia, que é o Cristo. Mas o maior dentre vós há de ser vosso servo. Qualquer, pois, que a si mesmo se exaltar, será humilhado; e qualquer que a si mesmo se humilhar, será exaltado.
Mateus 23:8-12

Para todos aqueles que são os verdadeiro mestres, neste dia do Professor eu vos digo, muito obrigado, e que Adonai derrame de sua graça abundante em suas vidas. Para aqueles que são professores mas ainda não entenderam o que é verdadeiramente ser mestres eu digo: Nunca é tarde para recomeçar. Desde Sião,

Miguel Nicolaevsky
FELIZ DIA DOS PROFESSORES!

1 comentário em “Dia dos Professores: Educando com excelência”

Os comentários estão encerrado.