ESCATOLOGIA BIBLICA

OS JUSTOS FALECIDOS ESTÃO COM O SENHOR?
Os justos falecidos estão com o Senhor. Isto está provado pelas seguintes passagens:
“Estamos sempre muito animados, pois sabemos que, enquanto vivemos neste corpo, estamos longe do lar do Senhor. (6) (NTLH) Mas temos confiança e desejamos, antes, deixar este corpo, para habitar com o Senhor”. (8) (RC) (2 Cor. 5:6-8). Assim, para os justos, estar ausente do corpo, isto é, estar naquele estado ocasionado pela morte é estar na presença do Senhor. A íntima união com Cristo, após a morte, em comparação com a vida presente pode ser descrita como um estar “ausente” dEle, é o que leva o apóstolo a fazer esta declaração. Já no Vers.8 “habitar” sig. endhmew endemeo, que é estar com o seu próprio povo, aqui neste caso Paulo refere-se “habitar com o Senhor” ou seja, estar com o seu próprio Senhor ou estar na habitação do Senhor.

(2 Cor. 5:8) (Tradução Brasileira) temos bom ânimo, digo, e antes queremos estar ausentes do corpo e presentes com o Senhor.

“Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte.(20) (RC) Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro.(21)(RA) Mas, se o viver na carne me der fruto da minha obra, não sei, então, o que deva escolher.(22)(RC) Ora, de um e outro lado, estou constrangido, tendo o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor”.(23)(RA).(Fil. 1:20-23). Paulo não podia decidir se ele preferia permanecer na carne, isto é, continuar a viver aqui na terra, ou morrer para estar com Cristo. Assim, para os justos, uma partida desta vida é uma entrada à presença de Cristo. Fica claro que para o apóstolo Paulo, a morte cumpriria todo o desejo de sua vida, isto é, encontrar-se pessoalmente com Cristo. Sem limite intermediário com Jesus. O Vers.23 diz “tendo o desejo de partir”, partir analuo sig. morrer, ir embora. E “estar com Cristo”, estar einai sig. “estar presente” com Cristo.

“Quanto a mim, a hora já chegou de eu ser sacrificado, e já é tempo de deixar esta vida.(6)(NTLH) Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.(7,8)(RC) O Senhor me livrará também de toda obra maligna e me levará salvo* para o seu reino celestial. A ele, glória pelos séculos dos séculos. Amém!(18)(RA) (2 Tm 4.6-8,18)

*Me levará salvo para (18); o grego tem “eis” que significa “para dentro” e isso torna o versículo extremamente significativo. Paulo tinha a certeza que ia ser transportado “para dentro” de seu reino celestial, isto é, o reino de Cristo Jesus.

Da expressão do pensamento do apóstolo aqui, embora conciso, pode afirmar-se com segurança que ele não admitia nenhum dogma ou doutrina a respeito de um estado intermediário. Seu pensamento é mais semelhante ao relatório dos teólogos, quando afirma que “as almas dos crentes que dormem no Senhor tornam-se perfeitas em santidade e imediatamente passam para a glória (para a habitação de Deus); e seus corpos, sendo unidos com Cristo, permanecem na sepultura até o dia da ressurreição” (cfr. Hb 12.23; Lc 23.43).

Pense nisso! O céu era uma realidade tal para Paulo que ele quase não podia esperar para ver a Cristo face a face—estar em sua presença e desfrutar das glórias do céu para sempre. Paulo queria ser liberto de seu corpo terreno e ser um espírito livre, desfrutando da gloriosa presença de Cristo, e esperar o dia em que ele receberia um corpo novo e glorioso—Para participar dos principais eventos daquele lugar. Penso que Paulo não queria mais nada, além de receber o novo corpo, ser julgado e voltar para onde estava para participar das bodas do Cordeiro.
Finéias Bitú
Paz seja Convosco