EUA venderá 50 caças F-35 para os Emirados Árabes

Pouco mais de um mês após as declarações de um acordo de Paz entre o Emirados Árabes Unidos e o Estado de Israel, a Casa Branca informou hoje (quinta-feira) ao Congresso dos EUA que pretende vender nada menos que 50 caças F-35 para os Emirados Árabes Unidos.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu referiu-se hoje ao acordo entre os Estados Unidos e os Emirados em sua coletiva de imprensa, dizendo que “já estamos após intensas discussões com o Ministério da Defesa e o Pentágono e recebemos mais do que segurança – o compromisso americano de manter a vantagem militar de Israel.” Acho que é uma conquista importante para o Estado de Israel. Também sabemos que todos enfrentamos uma ameaça comum e compreendemos isso muito bem. É importante que o establishment de defesa receba o compromisso dos Estados Unidos de “preservar sua vantagem na região e em geral”.

A agência de notícias Reuters informou anteriormente que o planejamento é apresentar o acordo até 2 de dezembro, feriado nacional dos Emirados Árabes Unidos. No entanto, o Comitê de Relações Exteriores do Senado e o Comitê de Relações Exteriores da Câmara, cujos membros criticaram o envolvimento dos Emirados Árabes Unidos nas mortes de cidadãos Yemenitas, têm o direito de verificar e até mesmo bloquear a venda de armas em um processo de revisão informal.

Na semana passada, na véspera da revelação do início do processo de normalização com o Sudão, o ministro da Defesa Bnei Gantz e o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu emitiram uma declaração conjunta afirmando que Israel “não se oporá à venda de certos sistemas americanos aos Emirados Árabes Unidos”. De acordo com sua declaração conjunta, o consentimento de Israel foi dado após um acordo assinado por Ganz com o Secretário de Defesa dos Estados Unidos, que garantiria a vantagem militar qualitativa de Israel no Oriente Médio.

Gantz e Netanyahu disseram em um comunicado que “funcionários do governo dos EUA informaram ao Secretário de Defesa que o governo planeja notificar o Congresso em um futuro próximo de sua intenção de fornecer certos sistemas de armas aos Emirados Árabes Unidos. O primeiro-ministro e o ministro da defesa concordaram. “Israel não se opõe à venda desses sistemas aos Emirados Árabes Unidos.”

Após o anúncio conjunto, o Gabinete do Primeiro-Ministro emitiu um comunicado irritando Ganz, dizendo que “os novos entendimentos não faziam parte do acordo de paz com os Emirados Árabes Unidos, e a discussão começou há apenas um mês com o Secretário de Defesa em visita a Washington, após a assinatura do acordo de paz.” Gantz respondeu fortemente a esta afirmação: “Após a assinatura do acordo de paz com os Emirados, foi revelado ao ministro da defesa que, ao mesmo tempo, negociações para a venda de armas avançadas estavam ocorrendo, o que era conhecido por oficiais israelenses envolvidos nas negociações – mas teria escondido ao estabelecimento de defesa.”

A pergunta que se faz é que tipo de garantia os Estados Unidos poderão dar ao Estado de Israel e ao Povo de Israel de que este tipo de equipamento estratégico não será usado de forma alguma contra os israelenses?

Fonte: YnetNews, IsraelHayom, Reuters, Israel GPO

3 comentários em “EUA venderá 50 caças F-35 para os Emirados Árabes”

  1. Penso que os tratados de paz com os países árabes, trarão problemas futuros para Israel. A aquisição de caças pelos Emirados Árabes, serão como diz o profeta Zacarias um cálice de tontear, as profecias apontam para o isolamento de Israel.

  2. Israel já recebeu dos EUA,por meio do presidente Trump,a promessa de que vai vender caças F-22 Raptor para os israelenses.Este caça está entre os mais versáteis e avançados do mundo ,superanto até os F-35 em manobrabilidade e poder de fogo,e quase tão ofurtivo quanto os F-35.
    Assim Israel manterá sua superioridade no ar.
    “Pois de força me cingiste para o combate”(2 Sm 22.40a).

  3. Shalom….Adonai ou Alla honra quem honra sua palavra…q os filhos de Abraao honre seu acordo de paz… o unico Deus foi testemunha do acordo e ele se agrada da paz entre seu povo e não da guerra…q seja pra protegerse seu instrumentos.

Os comentários estão encerrado.