EUA X China, nova guerra ou política pré eleições?

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, apelou às democracias para isolar a China e argumentou que “o mundo livre deve derrotar essa nova(velha) ditadura”. Pompeo se referiu à visita histórica do ex-presidente dos EUA, Richard Nixon, à China, há cerca de 50 anos, dizendo que Pequim aproveitou o relacionamento que havia estabelecido com o Ocidente após a visita para “mentir, trapacear e abrir caminho para o poder e a prosperidade”.

O governo Trump culpou a China pelo surto da pandemia do coronavírus, e mesmo antes disso já havia travando uma guerra comercial que ainda não havia terminado completamente.

O Ministério das Relações Exteriores da China ordenou que os Estados Unidos fechassem seu consulado na cidade central de Chengdu, informou a agência de notícias chinesa Xinhua.A decisão veio depois que Washington exigiu que Pequim fechasse seu consulado em Houston, Texas.

“Na China, determinamos a decisão de retirar seu acordo de operar um consulado dos EUA em Chengdu”, disse o Ministério das Relações Exteriores da China em comunicado. “Especificamos uma série de demandas para a cessação de todas as atividades e eventos no consulado”.

Os EUA têm uma embaixada na capital chinesa Pequim e outros cinco consulados nas cinco principais cidades da China – Xangai, Guangzhou, Chengdu, Wuhan e Shenyang.

A pergunta que não para de soar é se realmente estamos diante de uma guerra diplomática e comercial entre EUA e China ou se é apenas uma política pré eleições, orquestrada por Donald Trump e sua equipe. O fato é, que grande é a revolta no Mundo inteiro contra a atitude e a omissão da China no início da pandemia, o que levou o coronavírus a se espalhar para todos os continentes. Trump e sua equipe podem estar aproveitando o momento para se re-elegerem em breve.

O bom mesmo seria se houvesse um boicote generalizado na China, forçando o país a abandonar diversas meditas de anexação que tomou contra Hong Kong, Tibete e outras regiões independentes.