Georgia e Israel, 2600 anos de Cultura

Os Judeus georgianos são uma das comunidades mais antigas da Geórgia, traçando sua migração para o país durante o cativeiro babilônico no século VI AC.

Isto ocorreu ainda antes da anexação da Geórgia pela Rússia, a história dos 2600 anos dos judeus georgianos foi marcada por uma ausência quase total de anti-semitismo e uma assimilação visível na língua e na cultura georgianas.

Os judeus georgianos eram considerados etnicamente e culturalmente distintos dos vizinhos judeus da montanha. Eles também eram tradicionalmente um grupo altamente separado dos judeus asquenazes na Geórgia, que chegaram após a anexação russa da Geórgia.

Como resultado de uma grande onda de emigração nos anos 90, a grande maioria dos judeus georgianos agora vive no Estado de Israel.

Os judeus georgianos tradicionalmente viviam separadamente, não só do povo georgiano vizinho, mas também dos judeus ashquenazes em Tbilisi, que tinham práticas e linguagem diferentes.

A comunidade, que chegava a cerca de 80 mil pessoas até a década de 1970, imigrou em grande parte para Israel, Estados Unidos, Federação Russa e Bélgica (em Antuérpia). Em 2004, apenas cerca de 13.000 judeus georgianos permaneceram na Geórgia. De acordo com o Primeiro Censo Geral da Geórgia de 2002, existem 3.541 judeus no país. Por exemplo, o ramo Lezgishvili de judeus georgianos tem famílias em Israel, Moscou, Baku, Düsseldorf e Cleveland, Ohio (EUA). Várias centenas de famílias judias georgianas vivem na área tri-estatal de Nova York, particularmente em Nova York e Long Island.

Quando estive no serviço militar em Israel tive o prazer de conhecer alguns jovens judeus da Georgia, sempre muito brincalhões e simpáticos, ao mesmo tempo que estão dispostos a fazer qualquer tarefa sem reclamar. Um dos jovens com quem servi na IDF era médico e pude aprender muita coisa sobre a cultura da Georgia, uma delas foi sobre seu idioma, que difere de todos os outros da região. No Idioma Georgeano existem até sons que tanto no Ocidente quanto no Oriente, não sabem como expressar.

Jovens judeus da Georgia fazem questão de servir as Forças de Defesa de Israel, sua principal escolha é serem combatentes na infantaria, dando a vida em prol do país.

Nos últimos anos crescem o número de judeus israelenses viajando para conhecer a Georgia, sua paisagens são fantásticas e seu povo muito amistoso. Esta sem dúvida alguma uma grande receita para tornar este país um excelente destino de viagens.

Em um dos nossos programas de história e arqueologia, encontrei alguns turistas da Georgia que estavam visitando a cidade de Lod, a Lida da Bíblia. Eles estavam indo venerar o local onde fora sepultado o soldado George, conhecido no Brasil como São George. Quando perguntei o que estavam fazendo ali, eles disseram que foi um privilégio poder visitar o local onde seu herói nacional da fé nasceu e foi sepultado.

Em Israel os cidadãos da Georgia são chamados de Gruzini, e a Georgia em si é chamada de Gruzia. Acima podemos ver um grupo de georgeanos entoado uma música tradicional judaica, bom proveito.

Os comentários estão encerrado.