Governo de Israel abre a carteira para ajudar o povo

Após ondas de protestos lideradas principalmente pelos autônomos e pequenos negócios no país, pela primeira vez, tudo indica que o governo entendeu que se não abrir o bolso, a crise econômica poderá levar a uma revolta social no país.

Em uma entrevista sem precedentes, hoje em Israel, o Primeiro Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu e o Ministro da Economia, Israel Katz, declararam que o governo vai liberar nos próximos dias uma ajuda direta mínima de 2500 shekels para todas as famílias do país que tem pelo menos 1 filho, para dois filhos um acréscimo de 500 shekels, e para 3 ou mais filhos, uma ajuda imediata de 3000 shekels.

A medida visa em primeiro lugar, dar apoio as populações mais carentes do país, principalmente as famílias de religiosos que tem muitos mais filhos e tem passado necessidade. Além desta ajuda, o governo também informou que ajudará a todo cidadão solteiro ou sozinho que tem mais de 18 anos com uma pequena ajuda de 500 shekels.

O Primeiro Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu declarou que a medida não visa somente ajudar a alimentar as famílias mais carentes, mas também ativar a economia, pois o consumo ajuda primeiramente aos negócios no país. Além disso, não devemos ser inocentes, pelo visto a ajuda de Netanyahu é uma resposta direta ao protestos graves que ocorreram junto a residência ministerial em Jerusalém.