GUIAME: Pesquisador explica por que Israel resiste a tantos ataques: “Deus os mantém de pé”

Na última quarta-feira (18), o Estado de Israel celebrou seus 70 anos de sua independência, após sua oficialização e reconhecimento em 1948. Mas estas celebrações parecem ser apenas uma tomada de fôlego em meio aos inúmeros ataques que a nação tem sofrido de diversos lados, como as investidas do grupo terrorista palestino Hamas, do Irã, da Turquia e até mesmo da ONU, que acabou apoiando as resoluções apresentadas pela Palestina para desprezar a relação histórica dos judeus com a cidade de Jerusalém.

Falando com exclusividade ao Guiame, o pesquisador Miguel Nicolaevsky, que é autoridade em Arqueologia Bíblica e Hebraico Bíblico, destacou que não tem dúvidas a respeito do cuidado divino sobre Israel e aproveitou o tempo de celebração para refletir sobre a importância – diplomática e espiritual – de apoiar esta nação.

Brasileiro, Miguel tem um amor declarado pela Terra Santa e também comanda diretamente de Jerusalém o portal “Caté Torah”, que é dedicado a promover e apoiar a nação de Israel.

Confira abaixo a entrevista exclusiva:

Portal Guiame: Você exerce um trabalho de valorização da riqueza cultural e histórica existente em Israel. No contexto de conflitos que o Estado israelense convive atualmente, como você acredita que isto possa beneficiar essa nação?

Miguel Nicolaevsky: Em primeiro lugar, como cidadão brasileiro que ama o Brasil, meu desejo é que meu país natal também seja beneficiado pelas bençãos proclamadas por Adonai para seu servo Abraão conforme podemos ler em Gênesis 12:3

“Abençoarei aos que te abençoarem, e amaldiçoarei àquele que te amaldiçoar; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.”

O trabalho que exerço hoje vem sendo realizado ao longo de mais de 14 anos, sem interrupção, ele por um lado beneficia o Brasil pelo fato citado anteriormente, por outro lado ele também visa beneficiar o Estado de Israel, em especial o povo de Israel. Um povo sofrido a quem foi confiado os oráculos do Senhor e pelo qual recebemos o Messias Yeshua. Cerca de 14 anos atrás o Estado de Israel era um país isolado, odiado e o anti-semitismo transbordava mundo a fora sem quase nenhuma resposta. Ao longo dos anos, trabalho como o que exercemos mudaram isso. Tornaram a luta nos meios de comunicação um pouco mais equilibrada. Agora conforme podemos ver, o Estado de Israel está começando a colher o fruto do real conhecimento da situação complicada que o país vive. Nem tudo é justificável, mas a posição que o leva a sua defesa em relação aos seus inimigos é bem mais aceitável.

O Mundo está cansado dos métodos da violência que gera como resposta ainda mais violência. Vivemos em um tempo difícil, mas o Povo e o Estado de Israel não podem se dar ao luxo de viver em um beco sem saída conforme viveram há pouco mais de 70 anos durante o Holocausto. Como se diz em Israel, Masada nunca mais.

Ler artigo completo

Os comentários estão encerrado.