Hamas utilizaram falcão para incendiar campos em Israel

O grupo terrorista palestino do Hamas estão descendo cada vez em um nível mais baixo, ontem pela primeira vez na história, as Forças de Defesa de Israel identificaram e confirmaram que os palestinos utilizaram um falcão que foi capturado para incendiar campos agrícolas em Israel, onde está a imprensa internacional e as organizações de proteção dos animais, até agora ninguém se manifestou.

Durante o dia de ontem, dois incêndios ocorreram no córrego Besor, na vizinhança de Gaza, como resultado de bombas incendiárias que foram enviadas da Faixa de Gaza. Pouco tempo atrás, um falcão foi encontrado na área, preso a um cordão com um material inflamável na extremidade.

O falcão, ao qual foi anexada uma corda com material inflamável, foi encontrado nesta segunda-feira à tarde perto da cerca com a Faixa de Gaza, a oeste de Nahal Habesor. Durante o dia, os bombeiros estavam operando em 15 incêndios que se iniciaram nas vizinhanças de Gaza devido a balões incendiários que foram lançados desde a Faixa de Gaza para Israel.

Acima o falcão típico de Israel quando está vivo.

Uma inspeção inicial pela Autoridade de Proteção dos Parques Nacionais e Natureza de Israel mostra que o falcão estava amarrado ao arnês e não estava enredado em um arame com material combustível. O falcão está morto.

Abaixo o falcão morto e preso ao material incendiário pelos terroristas do Hamas

 

A foto tirada pela Autoridade de Proteção dos Parques Nacionais e Natureza de Israel mostra que o falcão estava preso ao fio com um material inflamável no final. A Autoridade de Parques e Natureza disse que, uma vez que estava conectada a um arnês com corda e material inflamável, é bem provável que foi enviado da Faixa de Gaza.

 

Para os terroristas palestinos do Hamas não há limite em sua crueldade, e o mundo assiste de camarote e criticam somente as Forças de Defesa de Israel. Israel por sua vez está reforçando os sistemas de defesa na região central e tudo indica que estamos diante de mais uma operação militar continua na Faixa de Gaza.