Hezbollah tentou recrutar mulheres árabes

O Shin Beit, o Serviço de Segurança Naciona, revelou hoje a identidade de recrutador e ativista do Grupo Terrorista Hezbollah no Líbano.

Segundo uma investigação da agência de segurança Shin Bet (SHABAK) de Israel. A célula do Hezbollah, bem como a identidade dos detidos e recrutas do Hezbollah, foi descoberta após a prisão de 6 de junho de duas civis israelenses da cidade árabe de Majdal Krum, no norte do país, e o interrogatório que se seguiu após a prisão.

Segundo o Shin Beit, Hamud, uma cidadã israelense que é de Majdal Krum e atualmente vive no Líbano com seu marido Bilal Bizari, está operando em nome do Hezbollah, ao mesmo tempo que trabalha como jornalista para um jornal local, o Al-Ahkbar libanês, afiliado ao grupo terrorista.

Segundo a investigação, ela recrutava cidadãos israelenses para trabalhar no grupo terrorista. Hamud já havia sido interrogada pelas forças de segurança em 2013 por suspeita de entrar em contato com ativistas do Hezbollah que ela conheceu em uma conferência em Marrocos, em 2008, bem como em outra conferência realizada na Tunísia em 2012.

Após o interrogatório de 2013, ela mudou-se para o Líbano, onde se casou com Bizari. Em dezembro de 2019, Hamud se encontrou com duas mulheres árabes-israelenses na Turquia, que mais tarde foram interrogadas pelo Shin Bet por suspeita de que, durante a visita, Hamud e seu marido tentassem recrutá-las no Hezbollah.

Como parte da investigação, as duas mulheres conheceram Hamud e também confirmaram informações sobre a reunião na Turquia, além de como o Hezbollah opera através de Hamud e seu marido, a fim de recrutar mais israelenses para as atividades do Hezbollah.

Depois que a investigação foi concluída, as duas mulheres foram libertadas sob condições restritivas. O fato é que Hezbollah tenta de todas as formas recrutar árabes israelenses, muitas vezes sem sucesso, mas algumas vezes, pessoas como Hamud, pulam a cerca de vez, sendo assim, jamais poderá voltar a viver no Estado de Israel. Caso tente chegar ao país, ela será presa e passará o resto da vida na cadeia.

Fonte: Shin Beit – Shabak

2 comentários em “Hezbollah tentou recrutar mulheres árabes”

  1. Minha opinião é que o Hesbollah jamais deixará de tentar exterminar Israel!A guerra total contra esse grupo é uma questão de tempo pois mais cedo ou mais tarde,ou Israel se antecipa ao ataque do Hesbollah ou o Hesbollah ataca primeiro.
    “Ao homem que teme ao SENHOR,ele o instruirá no caminho que deve escolher”(Sl 25.12).

Os comentários estão encerrado.