Hipocrisia da ONU mais uma vez em toda seu brilho

O investigador de direitos humanos da ONU afirmou que o ataque dos EUA no qual o general iraniano Qassem Suleimani foi morto em janeiro violou o direito internacional. Suleimani foi exterminado quando deixou o aeroporto de Bagdá. No Relatório da investigação independente da ONU, ela observou que a ofensiva dos EUA violou a Convenção da ONU.

Mas o fato é que a ONU esquece de mencionar, mais uma vez, que Qassem Suleimani era um assassino, responsável direta e indiretamente por ataques terroristas e para-militares contra centenas de milhares de sírios e contra o povo e o Estado de Israel através do financiamento e treinamento de terroristas do Hezbollah.

Qassem Suleimani na realidade, morreu muito tarde, se morresse antes, muitas vidas teriam sido poupadas. Mais uma vez, os funcionários da ONU que deveriam defender a guerra contra o terrorismo, defendem os terroristas e as ditaduras como o Irã e seus comparsas.

1 comentário em “Hipocrisia da ONU mais uma vez em toda seu brilho”

  1. Não é de hoje que se diz:’a ONU é maligna’!Como bem diz o texto,em vez de justificar ações contra terroristas assassinos,a ONU os protege e tenta punir e impedir quem faz guerra contra os terroristas,os justificando e defendendo-os.
    Para mim,segundo meu entendimento da Bíblia,o mundo vai se tornar cada vez mais perverso e cruel até a volta de Jesus,quando o quadro será revertido.
    “Ai dos que ao mal chamam bem,e ao bem,mal;que fazem da escuridade luz,e da luz escuridade;põem o amargo por doce,e o doce por amargo!”(Is 5.20).

Os comentários estão encerrado.