Igreja Bizantina Com 1500 Anos Descobeta Por Causa de Obras na Estrada 1

Curso Herança Judaica do Novo Testamento

As escavações arqueológicas junto à estrada 1(Jerusalém-Tel Aviv), perto do cruzamento na entrada para o vilarejo Abu Ghosh, revelaram uma grande estação de caminho que incluia uma igreja do período bizantino. As escavações foram realizadas no canteiro de obra para a modernização e expansão da estrada de Jerusalém para Tel Aviv, iniciado e financiado pela Israel Pipeline Company.

O local para a escavação está ao lado de uma camada denominada “o riacho da rachadura ', localizado às margens da Moshav Beit Nekofa. A atual igreja da escavação foi exposta com pelo menos cerca de 16 m. A igreja inclui um comprimento de 6 metros e meio a capela lateral e 3 metros e meio de largura, e seu piso foi pavimentado com um mosaico branco.

No canto nordeste da capela baptismal havia ium batist[erio com a forma de quatro nichos em forma de trevo (simbolizando cruz).

Fragmentos de gesso pintados de vermelho foram descobertas entre os escombros que cobriam o edifício, indicando que as paredes da igreja foram decoradas com afrescos (fresco). Os quartos foram descobertos a oeste da igreja, aparentemente eram de uso residencial e de armazenamento. Em um deles foram descobetos uma abundância de telhas de barro.

As escavações revelaram, entre outras coisas, lâmpadas de azeite, comumente usadas na antiguidade, moedas, fragmentos especial de mármore, vidro e conchas de madrepérola.

De acordo com Janet Carpenter, diretora da escavação, “A Estação de Peregrinação e a Igreja que foram construídas na rota para Jerusalém durante o período bizantino, No início do último período entre Jerusalém e a planície costeira. Ao longo desta estrada, que foi fundada provavelmente já no período romano, foram descobertos no passado, assentamentos e estações que serviam ao tráfego de passageiros. Como parte dos serviços ao longo do caminho foram construídas igrejas, como esta que agora estaa na entrada de Abu Ghosh. Outras igrejas foram documentados em Abu Ghosh, Kiryat Yearim, e Emaús. O sistema de caravanas parou de funcionar ao fim do período bizantino, embora o caminho ao longo do qual ele foi construído, foi renovado e também foi usado em outros períodos e na verdade até os dias de hoje. “

Pablo Ore, arqueólogo do distrito de Judah para a Autoridade de Antiguidades, disse: “Os resultados foram documentados e investigados. A Empresa das Estradas e a Autoridade de Antiguidades declarou que o local será completamente investigado e documentado, e posteriormente coberto novamente para preservá-lo para as gerações futuras.