Israel acusa Líbano de contrabando e apoio a grupo terrorista: As consequência poderão ser desastrosas

A reunião que está ocorrendo na sede da ONU nos Estados Unidos, está revelando que o Hezbollah e a Síria estão contrabandeando armamento pesado para o grupo terrorista desde o Irã e de outros países em torno do Mundo. O Embaixador de Israel na ONU revelou hoje as rotas de contrabando do Hezbollah. O Estado de Israel vem advertido diversas vezes o Líbano que está permitindo o grupo terrorista usar a máquina do governo e até mesmo instalações civis para se armar e atacar Israel, da última vez que isto aconteceu, Israel quase acabou com o país em uma operação militar sem precedentes.

O observador palestino protestou contra a destruição de casas em Jerusalém Oriental: O Conselho de Segurança das Nações Unidas realizou uma discussão sobre a situação no Oriente Médio na segunda-feira, com a participação de Israel.

O embaixador de Israel nas Nações Unidas, Danny Danon, revelou informações de inteligência sobre o envolvimento do Irã no suprimento do Hezbollah no Líbano, por meio da ajuda da Síria, em violação da Resolução 1701.

“No ano passado e neste ano, Israel identificou a atividade iraniana na transferência de dispositivos de uso duplo destinados a promover o projeto de produção de mísseis do Hezbollah”, disse Danon aos membros do conselho, mostrando um mapa. “Sob a liderança da Força Quds, o Irã transferiu equipamentos de uso duplo para o Hezbollah, o que ajudou a fortalecer a organização terrorista contra o Estado de Israel, através do porto de Beirute, e o porto de Beirute se tornou o porto do Hezbollah.”

Segundo Danon, o Irã e o Hezbollah foram auxiliados por elementos sírios que compraram o equipamento de empresas civis estrangeiras e transferiram o equipamento para o Líbano. Esses fatores enganaram as empresas, disfarçando os objetivos reais do equipamento – as instalações de produção de mísseis do Hezbollah. “Você tem certeza de que suas empresas sabem o destino final dessas remessas?” Danon perguntou aos embaixadores na discussão.

O embaixador israelense disse que o Hezbollah usa regularmente instalações civis libanesas para o transporte ilegal de armas e em flagrante violação da Resolução 1701 do Conselho de Segurança. Danon apresentou ao Conselho de Segurança um mapa das transferências de armas usadas pelo Hezbollah para armar-se contra Israel – do aeroporto de Damasco ao aeroporto de Hariri, em Beirute, através dos cruzamentos oficiais entre a Síria eo Líbano, como a passagem de Al-Masna e o porto de Beirute.

O observador palestino nas Nações Unidas, Riad Mansour, falou antes, condenando de Israel pela destruição das casas em Wadi Hummus perto de Sur Baher, dizendo que era limpeza étnica e transferência forçada de civis, que é um crime de guerra e deveria ser tratado como tal. Está considerando apelar para o Tribunal Penal Internacional em Haia contra Israel. Mas esqueceu de mencionar que as casas foram construídas ilegalmente.