Israel aprovou lei que descontará dinheiro de salários de terroristas da Autoridade Palestina

Após meses de negociações e uma intensa discussão no plenário hoje, Israel aprovou a lei que irá descontar dos fundos transferidos para Autoridade Palestina os salários terroristas. 87 membros do Knesset, o Parlamento de Israel votaram a favor e 15 foram contra.

De acordo com a proposta, liderada pelo parlamentar Eleazar Stern do partido Yesh Atid e Avi Dichter do Likud, o partido do governo, os fundos destinados a terroristas será deduzido automaticamente da soma de dinheiro transferido por Israel à Autoridade Palestina, sem a necessidade de uma autorização especial do Gabinete.

Debate revela inimigos do povo de Israel dentro do parlamento

Durante o debate, o parlamentar árabe, Jamal Zahalka teve a coragem de dizer: “Os que propõe a lei são desavergonhados, não civilizados. Apoiam o assassinato de crianças palestinas. Vocês todos apoiaram o bombardeio de Gaza. Você assassinou crianças palestinas. De quem você saiu?”. É uma vergonha que o Estado de Israel permita que um parlamentar árabe fale assim contra os parlamentares judeus, isto não seria tolerado em nenhum país do Mundo.

Eleazar Stern e Avi Dichter disseram que em quatro anos a Autoridade Palestina já pagou mais de 4 bilhões para terroristas, e só no último ano 1,2 bilhão. Segundo o projeto, Israel vai congelar o montante que a Autoridade Palestina paga aos terroristas dos impostos transferidos por Israel.

Antes da votação, Dichter disse que “a Autoridade Palestina paga salários mensais aos terroristas e às suas famílias, quem estão em torno de 1,2 bilhões de dólares por ano, cerca de 7% do orçamento da Autoridade Palestina, ao invés de Mahmoud Abbas colocar dinheiro em saúde e educação.

Dichter acrescentou: “A Autoridade Palestina se tornou em uma fábrica que emprega assassinos de pessoas – principalmente judeus, mas também muçulmanos, cristãos, drusos, circassianos e outros, incluindo turistas. A ingresso é muito simples e fácil de ser aceito, tudo que você tem a fazer é matar israelenses, preso ou morto, você recebe.

Mahmoud Abbas e seus assessores – se vocês não mudarem o ingresso para esta fábrica de terrorismo, um dia vocês vão dormir se levantar esquartejados.”

De acordo com Dichter, “O projeto de lei tem como objetivo transmitir uma mensagem moral e de princípios de que o Estado de Israel não dará a mão à transferência de fundos para terroristas, e acreditamos que a lei exigirá que a Autoridade Palestina repense o financiamento do terrorismo”.

Stern disse antes da votação que “esta lei histórica enfraquecerá significativamente o encorajamento do terrorismo pela Autoridade Palestina. Temos de parar o incentivo econômico dado pela Autoridade Palestina aos terroristas, um incentivo que encoraja mais terror. Assim, todo jovem palestino entenderá que não vale a pena escolher o caminho do terror. Não há mais incentivo ao terrorismo às nossas custas “.