Israel investirá milhões em defesa contra mísseis de cruzeiro

Após os ataques iranianos contra a Arábia Saudita utilizando drones e mísseis de cruzeiro, o Estado de Israel deverá investir milhões de dólares no desenvolvimento de um sistema de defesa capaz de neutralizar este tipo de perigo.

Ainda hoje, um navio petroleiro do Irã foi atingido não muito distante da Arábia Saudita, provavelmente por um míssil de cruzeiro que, mas ainda não se sabe quem foi o responsável pelo incidente. Infelizmente nós sabemos que o Irã costuma mascarar incidentes de segurança e atentados, e pode ser que o disparo tenha sido feito por eles mesmos, ou tenha sido resposta da Arábia Saudita.

Um míssil de cruzeiro é um míssil tele-guiado que transporta uma carga explosiva, normalmente é equipado com um motor a jato, rumo a um alvo em terra ou alto mar. Mísseis de cruzeiro são projetados para liberar uma grande ogiva em longas distâncias e com alta precisão. Mísseis de cruzeiro modernos podem viajar em velocidades supersônicas ou em altas velocidades subsônicas, são auto-navegáveis, e podem voar em uma trajetória não-balística, de altitude extremamente baixa.

O Tomahawk é o míssil de cruzeiro mais conhecido que existe, ele ficou popularizado quando os Estados Unidos utilizou milhares deles no início da II Guerra do Golfo e no começo da intervenção americana na Guerra Civil na Síria.

Os mísseis de cruzeiro se assemelham em operação aos drone militares, podendo voar em baixa altitude, levando grande perigo por onde passam. No passado os sistemas de segurança de Israel já levantaram a possibilidade de que os inimigos utilizem míssil de cruzeiro contras as cidades ou instalações estratégicas do país, mas somente agora, com o aumento das ameaças é que o país está decidido a investir nisso.