Jovem palestina que agrediu soldado passou 8 meses na cadeia e não aprendeu nada

Ahed Tamimi com apenas 17 anos é uma terrorista juvenil, ela agrediu diante das câmeras um oficial israelense e inda postou orgulhosa nas redes sociais, o resultado, foi presa e enquadrada por oito meses por agressão a soldado em serviço.

Ahed Tamimi é uma daquelas pessoas que não aprendem nada com seus erros, agora ela acha que poderá mudar a situação, saiu dando entrevista coletiva e dizendo que vai lutar para processar e levar Israel ao banco de réus por crimes contra a humanidade, mas parece que ela não entende nada do assunto mesmo, países não são processados ou julgados, quem são, são os líderes, os governantes ou generais. Ahed Tamimi demostrou que não passa de uma péssima aspirante ao terrorismo e uma produtora de baixa categoria de Palewod, a indústria palestina de fake news e cine-terrorismo.

Ahed Tamimi têm muita sorte, pois se ela agredisse assim um soldado na Arábia Saudita, Irã ou até mesmo na Jordânia ou Síria, já teria levado um tiro na cabeça. Mas ela faz uso da paciência e tolerância  judaica. Bem, como terroristas são viciados em imprensa, sensacionalismo e violência, não deve demorar muito para ela cair na asneira de agredir mais um soldado e então mofar na cadeia. Espero que ela faça isso depois dos 18 anos, desta forma será julgada como criminosa comum e não como juvenil, e aí, passará muitos anos apodrecendo na cadeia.

Pessoas como Ahed Tamimi que pensam estar acima da lei a da tolerância mínima não merecem a liberdade que almejam e pregam, somente pessoas que buscam a paz e convivência são dignas disso. O mais interessante de ver na foto acima de Ahed Tamimi é que antes de ser presa ela era magra que dava dó, depois de 8 meses de prisão em Israel ela engordou, e como “gratidão” já ameaçou publicamente o estado de Israel, é com este tipo de víbora que temos que lidar aqui.

Mas os Estado de Israel, seus governantes e seus soldados, nunca se rebaixarão ao nível do terrorismo palestino que mata pessoas inocentes propositalmente e incita seus moradores a esfaquear pessoas inocentes nas ruas.

Foto: Facebook de Ahed Tamimi