Justiça de Israel: A Autoridade Palestina Financia o Terrorismo

Justiça: Pela primeira vez e de forma clara, duas jovens que por um milagre foram salvas de um dos mais terríveis atentados no período da Intifada Palestina em 2001 venceram uma longa batalha na justiça contra a Autoridade Palestina. No incidente elas eram apenas bebês quando o atentado ocorreu. Sua família e mais um amigo estavam retornando da Cidade de Eilat, no sul de Israel para o centro do país quando foram massacrados na estrada 443 que liga Jerusalém à Tel Aviv.

Segundo o relatório das investigações, um carro se aproximou deles com 6 terroristas dentro, dispararam incessantemente até matar os viajantes. Ainda segundo o relatório, as meninas foram salvas somente porque a mãe se debruçou-se para proteger a meninas que eram bebês. A mãe salvou-as com seu próprio corpo, recebendo as balas pelas costas.

Após anos de batalha judicial, a conclusão do juiz é simplesmente impressionante. A Autoridade Palestina foi a maior responsável pelo crime, pois ela incentivou, financiou e ainda entregou armas aos terroristas, o resultado foi trágico.

As suas jovens foram criadas pelos tios e durante o pronunciamento do juiz estavam em uma viagem por sua escola à Polônia, Ulpanat Zevulun em Rosh Ha’ayin no centro do país. Elas ainda não sabem sobre a vitória, elas tinham pedido para não saber sobre os resultados do julgamento. Nos campos de extermínio na Polônia, estão com as outras meninas da Ulpana e é muito difícil se comunicar de qualquer maneira.

Por décadas os políticos em Israel vem alegando que a Autoridade Palestina está mergulhada até o pescoço em atividades criminosas como estas, mas esta é a primeira vez que o caso foi comprovado e julgado em favor das vítimas de forma definitiva. Elas receberão de indenização como algo em torno de 62 milhões de reais que será descontado dos recursos de impostos da Autoridade Palestina.

As declarações do juiz foram: “Enquanto a Autoridade Palestina está lavando as mãos frente ao mundo ocidental, apoia terroristas desde o financiamento até o terror em si, equipando os terroristas e cúmplices de terroristas na prisão, eles o fazem por meio de um ministro e ministério especial para os presos, pagam salários aos terroristas e suas famílias. “Ele disse.

Fonte: NRG, Israel Hayom

Os comentários estão encerrado.