Líbano a beira do abismo: Hezbollah X Governo

A organização terrorista xiita Hezbollah atacou o governo libanês na nesta quarta-feira, quando este entrou em negociações mediadas pelos EUA com Israel a respeito de fronteiras marítimas disputadas no mar Mediterrâneo.

Junto com o partido político xiita Amal, o Hezbollah criticou a delegação de Beirute enviada às negociações, pedindo que os representantes incluíssem apenas oficiais militares sem civis ou políticos poucas horas antes da primeira reunião.

“Os dois exigem o recuo imediato desta decisão e a reformulação da delegação de acordo com o acordo-quadro”, afirmou.

Aclamado como um avanço “histórico” por autoridades dos EUA após três anos de negociações, as negociações visam resolver uma disputa entre os países sobre águas do Mediterrâneo potencialmente ricas em recursos naturais.

Enquanto Israel e Líbano ainda estão “tecnicamente em guerra”, as deliberações oferecem uma fonte de vida para Beirute, visto que o acordo poderá render bilhões, enquanto o país continua a lutar em meio a uma profunda crise financeira, juntamente com os protestos sociais em andamento e a pandemia do coronavírus.

O presidente do Líbano, Michel Aoun, um aliado político do Hezbollah, não respondeu imediatamente à demanda feita pela organização paramilitar apoiada pelo Irã. Se Amal e Hezbollah não recuarem, isso poderá representar uma guerra civil no país do Cedro.

O gabinete do presidente, que se encarregou de formular a delegação, disse na terça-feira que as negociações serão exclusivamente técnicas, informou a Agência Reuters.

Tanto o Hezbollah quanto Israel têm comentado que as negociações, as primeiras desse tipo em mais de 30 anos, não sinalizaram um processo de paz entre Jerusalém e Beirute. Depois de travarem uma guerra sangrenta de dois meses em 2006, o Hezbollah e Israel são arquiinimigos.

Hezbollah que mente para o público libanês dizendo que luta pelo seu interesse, na realidade já arrastou o país para diversos conflitos com o Estado de Israel, e em todos eles, o prejuízo maior foi para o Líbano e sua população. Enquanto o Hezbollah tiver o privilégio de manter uma força militar no país, paralela ao exército libanês, os governantes do Líbano vão continuar morrendo de medo de desagradar este grupo de terroristas.

Fonte: i24 News – Foto: Pexel

2 comentários em “Líbano a beira do abismo: Hezbollah X Governo”

  1. Décadas atrás,o Líbano cometeu um erro fundamental:recebeu em seu território os terroristas palestinos liderados pelo arqui-assassino Yasser Arafat.Aí começou a derrocada no Líbano.Tudo foi dando errado no país e a capital Beirute,que era atração turística,chamada de ‘a Veneza do Oriente Médio’,hoje é uma capital da pobreza e do sofrimento.
    O caminho da benção do Líbano é expulsar o Hesbollah,que é um Estado dentro do Estado do Líbano e estabelecer a paz com Israel porque a Palavra de Deus é poderosa!
    “Abençoarei os que te abençoarem,e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem”(Gn 12.3).

Os comentários estão encerrado.