Menos 10 Terroristas e a Hipocrisia da ONU

Hipocrisia da ONU – O embaixador de Israel nas Nações Unidas, Danny Danon, queixou-se ao Conselho de Segurança sobre a convocação de uma decisão sobre a “Marcha de Retorno” na véspera do feriado da Páscoa, e acusou o Kuwait de iniciar um “golpe” sabendo que a delegação diplomática israelense estava comemorando o feriado.

Ele acrescentou que “explorar leis para permitir que apenas um lado apresente suas declarações, enquanto o outro lado é impedido de dizer, viola os princípios básicos de discussão justa e é contrário aos valores da ONU”.

A IDF prendeu um palestino que tentou atravessar nesta manhã a fronteira na fronteira da Faixa de Gaza, na área do Kibbutz Kissufim.

Durante a noite, as forças de segurança detiveram quatro palestinos procurados suspeitos de atividade terrorista e violentos distúrbios. O porta-voz do IDF disse que os quatro foram transferidos para as forças de segurança para interrogatório.

Segundo os meios de comunicação árabes, as forças de segurança estão detendo o corpo do terrorista Mas’ab Salal, um agente da ala militar do Hamas que participou de uma tentativa de ataque durante as manifestações da “Marcha de Retorno”, no norte da Faixa de Gaza, na sexta-feira. De acordo com uma fonte palestina em Gaza, Israel está mantendo o corpo de mais um terrorista da tentativa de ataque. É importante salientar que Hamas está mantendo dois israelenses com problemas mentais em cativeiro e os restos de um outro combatente que morreu na última operação militar em Gaza. Hamas faz isso para pressionar as famílias israelenses a forçar o governo a ceder a pressão pública e libertar milhares de terroristas em troca dos mesmos.

IDF: Pelo menos 10 dos mortos no Shabbat à noite em confrontos em Gaza eram terroristas.

Uma investigação da IDF e do Shin Bet revelou que pelo menos 10 das 16 pessoas mortas em confrontos entre a IDF e os palestinos na Faixa de Gaza na noite passada eram terroristas com experiência em atividades terroristas.

Os Estados Unidos rejeitaram um rascunho do comunicado do Conselho de Segurança da ONU pedindo uma investigação sobre o conflito na fronteira entre Israel e Gaza.

Diplomatas disseram à agência de notícias francesa AFP que o projeto da proposta, apresentada pelo Kuwait, pediu “uma investigação independente e transparente” da violência nos confrontos, reafirmou o direito ao protesto pacífico e expressou “o arrependimento do Conselho pela perda de vida de palestinos inocentes”.

Mas os EUA anunciaram que se opõem à proposta e não apóiam sua adoção. O Kuwait é um país hipócrita, nunca vi uma protesto pacífico onde terroristas atiram contra o país vizinho e ameaçam invadi-lo.