Ministro de Defesa da Alemanha: Israel não acredita em sanções

Karl Ernst Thomas de Maizière

O Ministro de Defesa da Alemanha, Karl Ernst Thomas de Maizière, declarou em entrevista aos meios de comunicação que está preocupado com a situação no Oriente Médio, pois o Estado de Israel não acredita que as sanções contra o República Islâmica do Irã levarão o país a re-pensar sua política de desenvolvimento nuclear.

Em entrevista ao jornal um alemão, foi questionado: “após o seu encontro com Ehud Barak qual foi a sua impressão de que estamos diante de uma guerra que se aproxima com o Irã”? Em resposta, ele disse: “Eu não sei, mas em as minhas conversas, inclusive com o ministro de defesa de Israel, fiquei mais preocupado com o rumo em que as coisas estão tomando.”

Ele acrescentou: “Estamos fazendo de tudo para que possamos impedir o Irã de avançar em seu programa nuclear, principalmente através de sanções, mas os israelenses não acreditam que as sanções serão bem sucedidas.”

Em seguida, foi perguntado a Karl Ernst Thomas de Maizière sobre a gravidade do plano israelense de atacar no Irã, e disse: “O Irã está tentando esconder muito o seu programa nuclear, e se for bem sucedido, seria difícil para um ataque israelense atingir o alvo, mas outros membros do governo de Israel não apreciam bastante as consequências negativas destes ataques, disse Ehud Barak, é difícil de calcular os resultados(do ataque), e deve-se assumir riscos calculados. Portanto, como amigos de Israel, adivertimos os líderes sobre este tipo de ação”.

Na semana passada, a Alemanha assinou um novo acordo para fornecer mais um submarino “Dolphin” mais moderno e aperfeiçoado que vai se juntar a frota da Marinha do Estado de Israel. Nos próximos seis anos irão entrar no porto de Haifa mais três submarinos novos de fabricação Alemã. As veículos de notícias estrangeiros estão relatando que os submarinos podem levar e lançar mísseis israelenses contento ogivas nucleares.

O aviso do Presidente Norte-Americano, Barack Obama, há somente dois dias, foi de que o Irã está perdendo o tempo restante para resolver a questão do programa nuclear do Irã diplomaticamente. “Ainda há uma janela de oportunidade diplomática, mas a janela está se fechando”.