Monte Meron e as Águas de Meron

O Monte Mero é a montanha mais alta em Israel do lado ocidental do Rio Jordão chegando a atingir 1203 metros acima do nível do mar.

Esta grande montanha não muito distante da fronteira com o Líbano pe mais alta do que a maior parte das colinas de Golan e serve também como local para uma das bases de informação e observação das Forças de Defesa de Israel.

O Monte Meron é considerado uma montanha sagrada em especial para o judaísmo cabalístico e boa parte dela também é uma reserva natural. Durante os dias mais frios do anos, com as frentes frias, o montanha inteira pode ficar coberta de neve por causa de sua altitude.

No vilarejo de Mero está o túmulo de Rabbi Shimon bar Yochai, considerado um dos mais importantes para o judaísmo ortodoxo em Israel e centenas de milhares se dirigem ao local para venerá-lo no aniversário de sua morte.

O Monte Meron é o centro da Reserva Natural da Montanha Meron, que cobre uma área de 100 mil dunams. Esta reserva é uma das maiores reservas naturais e mais antigas da Terra de Israel. Foi declarada reserva florestal pelas autoridades britânicas em 1942.

Além do cume, que é fechado para os visitantes por causa de uma base militar, o principal ponto de visita é o caminho da cúpula que o rodeia a cerca de 100 metros abaixo do topo da montanha. Da trilha, há muitos pontos de observações para a maior parte da Alta Galileia. A partir de vários pontos na área de Meron, você pode ver toda a largura da Terra de Israel, do Mar Mediterrâneo, a Baixa Galileia, o Mar da Galiléia e as Alturas de Golan. Na reserva está localizada a Escola Agrícola de Meron.

A singularidade da reserva Meron em particular e as Montanhas Meron, em geral, é que constitui um limite de distribuição do sul para muitas plantas que representam a vegetação nas montanhas da Turquia e do Líbano. Nas Montanhas Meron você pode encontrar plantas como: ciclamen grego, sequóia de peônia, juniper arzi e muito mais.

Ao longo dos anos, uma luta foi travada sobre a preservação da reserva em face de uma série de assentamentos dentro ou em seus limites. Em particular, a luta dos aldeões de Beit Jann para expandir de construir uma estrada para Kfar Hurfeish tornou-se conhecida. O estabelecimento individual, Hemdat Yamim, tem lutado por muitos anos para existir dentro da reserva.

Além desses vilarejos, a IDF construiu bases no coração da reserva, incluindo a unidade de controle norte da Força Aérea de Israel no topo da montanha.

Durante a Segunda Guerra do Líbano, muitos mísseis caíram no Monte Meron e nos vilarejos próximos, causando grandes incêndios na área.

Segundo a tradição, as fontes na montanha são o que a Bíblia chama de Águas de Meron, local da batalha de Josué com os Reis do Norte:

“Quando Jabim, rei de Hazor, ouviu isso, enviou mensageiros a Jobabe, rei de Madom, e ao rei de Sinrom, e ao rei de Acsafe, e aos reis que estavam ao norte, na região montanhosa, na Arabá ao sul de Quinerote, na baixada, e nos planaltos de Dor ao ocidente; ao cananeu do oriente e do ocidente, ao amorreu, ao heteu, ao perizeu, ao jebuseu na região montanhosa, e ao heveu ao pé de Hermom na terra de Mizpá. Saíram pois eles, com todos os seus exércitos, muito povo, em multidão como a areia que está na praia do mar, e muitíssimos cavalos e carros. Todos esses reis, reunindo-se, vieram e juntos se acamparam às águas de Merom, para pelejarem contra Israel. Disse o Senhor a Josué: Não os temas, pois amanhã a esta hora eu os entregarei todos mortos diante de Israel. Os seus cavalos jarretarás, e os seus carros queimarás a fogo. Josué, pois, com toda a gente de guerra, sobreveio-lhes de repente às águas de Merom, e deu sobre eles. E o Senhor os entregou na mão dos israelitas, que os feriram e os perseguiram até a grande Sidom, e até Misrefote-maim, e até o vale de Mizpe ao oriente; e feriram-nos até não lhes deixar nem sequer um. Fez-lhes Josué como o Senhor lhe dissera: os seus cavalos jarretou, e os seus carros queimou a fogo. Naquele tempo Josué voltou e tomou também a Hazor, e feriu à espada ao seu rei, porquanto Hazor dantes era a cabeça de todos estes reinos. E passaram ao fio da espada a todos os que nela havia, destruindo-os totalmente; nada restou do que tinha fôlego; e a Hazor ele queimou a fogo. Josué, pois, tomou todas as cidades desses reis, e a eles mesmos, e os passou ao fio da espada, destruindo-os totalmente, como ordenara Moisés, servo do Senhor.”

Josué 11:1–12 ALMEIDA

Os comentários estão encerrado.