Mudanças: Governo de Trump está perseguindo terroristas

Perseguindo terroristas- Após Barack Obama deixar de folga todos os terroristas possíveis e seus comparsas mundo a fora, fazendo o que bem entendiam, o novo governo americano está arregaçando as mangas e fazendo aquilo que se espera de uma super potência.

Hoje duas notícias nos surpreenderam em relação ao verdadeiro combate ao terrorismo, em especial aos inimigos do Povo de Israel.

O Departamento de Justiça dos EUA anunciou que o governo dos EUA quer que a Jordan extradite a terrorista Ahlam Tamimi, que foi uma parceira para o ataque terrorista no restaurante Esbarro, em Jerusalém em agosto de 2001, que matou 15 pessoas – incluindo cidadãos norte-americanos.

Tamimi, um cidadão jordaniano, da facção terrorista Iz al-Din al-Masri Sohiil entrou no restaurante. Na época da execução do ataque, ela foi condenado a 16 penas de prisão, mas foi libertada após 12 anos como parte do acordo para libertar Gilad Shalit.

A segunda boa notícia no dia de hoje também nos surpreendeu, segundo a imprensa libanesa, as autoridades marroquinas prenderam ontem o empresário libanês, Qasim Taj al-Din, definido como alguém muito próximo ao Hezbollah – de acordo com o pedido da inteligência dos EUA.

Segundo relatos, em 2009, o governo dos Estados Unidos introduziu em sua lista negra Taj al-Din como quem dá apoio financeiro ao terrorismo, devido ao apoio do Hezbollah publicado pelo jornal saudita “Asharq Al-Awsat”, de Londres. O empresário em questão é um dos três irmãos acusados na África desde 2003 de lavagem de dinheiro para o grupo terrorista do Hezbollah.

Os comentários estão encerrado.