Netanyahu cancela cooperação com palestinos

Curso Herança Judaica do Novo Testamento

Após semanas de tentativas por parte do Governo de Israel a levar os palestinos a continuarem nas negociações de PAZ, sem sucesso, Benjamin Netanyahu ordenou o congelamento de todo tipo de comunicação oficial entre o Estado de Israel e a Autoridade Palestina.

A decisão foi tomada logo após os palestinos terem enviados pedidos de reconhecimento diretamente as instituições da ONU, sem levar adiante as negociações, o que segundo os meios de comunicação e diplomáticos é uma quebra dos acordos anteriores.

Violência Palestina às Portas

Além do aumento de tentativas de atentados nos últimos meses, da última vez em que israelenses e palestinos diminuiram a cooperação se iniciou a intifada palestina de 2000, o que levou a mais longa onda de violência entre os povos.

A quebra de acordos por partes de palestinos é uma constante, nenhum líder palestino até hoje foi capaz de manter suas palavras e a esperança de que Abu Mazen ( Mahmoud Abbas ) pudesse ser diferente não passou de mais uma ilusão.

Acusações por parte do Secretário de Estado Americano John Kerry

Ontém os meios de comunicação em Israel publicaram a nota do Secretário de Estado Americano John Kerry que dizia que Israel, além de não libertar mais terroristas, havia anunciado a construção de mais 700 unidades habitacionais na região de Gilo no Sul de Jerusalém.

As reclamações dos Estados Unidos da América são um tanto ridículas, pois Jerusalém unificada é a Capital do Estado de Israel e nada mais natural que continuar a construir na Cidade Santa.

O Secretário de Estado Americano John Kerry publicou uma nota a impressa após o anúncio de que a intesão não era acusar o Estado de Israel pelo fracasso das negociações.

O verdadeiro motivo pelo fracasso das negociações com os palestinos é a recusa palestina de declarar o Estado de Israel como Estado Judaico, o que impediria legalmente a qualquer palestino de fazer requisições de devolução de terras e imóveis dentro do território de Israel, visto que os palestinos e árabes tamb[em não aceitam a presença de israelenses dentro de territórios árabes, como eles dizem, querem um Estado Palestino “Esterelizado de Israelenses”.