O caso do agente do Mossad australiano

Curso Herança Judaica do Novo Testamento

Segundo os meios de comunicação australiano, Ben Zygier, um judeu nascido em Melbourne e que havia imigrado para Israel em 2000, teria morrido em uma prisão de alta-segurança na região central do país.

A notícia que já vinha correndo nos jornais australianos, ontem chegou a Israel através da acusação de parlamentares de que o ministério da justiça ou o ministério de segurança interna estariam escondendo o caso debaixo de ordens de censura afim de guardar o que alegam ser a “segurança do Estado”.

Ainda, segundo investigações realizadas pelo jornal australiano, Ben Zygier teria mudado seu nome em Israel para Ben Alon, onde vivia como um advogado, sua profissão original. O caso veio a tona quando a família ligou para pedir ao consulado australiano a transferência de seu corpo para ser sepultado na Austrália.

O governo da Austrália declarou que mediante a publicação do caso nos meios de comunicação, estará abrindo um inquérito para averiguar mais detalhes sobre o caso. De acordo com o governo australiano, se um cidadão do país morre em outro país, o governo local deveria avisar a representação diplomática do país a respeito do incidente.

Qual então seria o motivo de seu suicídio ou como teria conseguido o australiano se matar em uma sela de alta segurança sem meios para cometer suicídio e que é monitorada 24 horas por dia? Estas são as maiores questões do caso, e que ninguém ainda têm as respostas devido a gravidade do caso e a alta censura imposta no caso pelas autoridades de Israel.

Um ex-agente do Mossad que havia sido preso por ter “traído” o país disse que o único crime que justificaria o isolamento completo de Ben Zygier(Ben Alon) seria a traição ao país e a troca de informações com os inimigos de Israel.

Antes de imigrar para Israel, Ben Zygier era um jovem ativo e estava ligado a comunidade jovem de Melbourne na Austrália, e era uma pessoa muito conhecida na comunidade judaica local.

Segundo autoridades australianas, Ben Zygier era casado e tinha dois filhos, ninguém da família sabia de que estava envolvido como agente no Mossad.