O Herodium – Pálacio e Túmulo de Herodes o Grande

O Herodium (Hebreu: הרודיון) é uma colina a 12 km ao sul de Jerusalém, no deserto da Judéia. Tem 758 m de altura. Ali Herodes, o Grande, construiu uma fortaleza, a mais proeminente dentre as suas edificações. Este é o único local que leva seu nome, e foi o local que escolheu para ser enterrado e eternizado.

O Herodium

Flavius Josephus fala a respeito da fortaleza: “Esta fortaleza, que fica a sessenta estádios de Jerusalém, é naturalmente forte e muito bem construída, ficando razoavelmente próxima a um monte levantado a grande altura pela mão do homem e arredondado na forma de um peito. Tem torres em volta, e um acesso íngreme. Dentro dela estão os apartamentos reais, ao mesmo tempo bem defesos e bem decorados. Na base do monte existem áreas para desfrute construídas de tal maneira que vale a pena ver, entre outras coisas, a maneira em que a água, que falta no lugar, é trazida de grande distância e com grandes trabalhos. Na planície circunvizinha foi construída uma cidade sem paralelo, com o monte servindo como uma acrópole para as outras moradias” (Flavius Josephus, Guerra, I, 21, 10; Antigüidades, XIV, capítulo 13, 9). O Herodium foi conquistado e destruído pelos Romanos em 71 A.D., quando Lucilius Bassus e Fretensis estavam a caminho de Massada.

Descoberta do Túmulo de Herodes

Em 16/07/2007 publicamos aqui de que arqueólogos descobriram que o sepulcro de Herodes está localizado dentro do Herodium no deserto da Judéia e não dentro da Cidade Velha de Jerusalém como pensavam até o momento. Durante muitos anos os arqueólogos procuram o que seria seu sepulcro, até mesmo cientistas tentaram descobrir o mistério até então insolúvel bem como os sepulcros da família de Davi. Cujo local preciso ainda não há provas definitivas. Segundo os arqueólogos, hoje há provas precisas que foram apresentadas em uma entrevista coletiva que foi realizada hoje na Universidade Hebraica de Jerusalém.

Encabeçando a equipe estava o Doutor Ehud Netzar, pesquisador reconhecido internacionalmente como especialista em construções herodianas na qual dedicou mais de 30 anos de sua vida em escavações e pesquisas das atividades construtoras de Herodes, desde os palácios em Jericó, Massada até o Herodium. Sua declaração provocou muitas reações ontem na comunidade arqueológica de Israel. Esta “casa” de veraneio construída por Herodes e repleta de estábulos, jardins e salas era utilizada pelo rei quando Jerusalém ficava lotada na época das principais festas do Povo de Israel. O castelo construído em forma de cone sobre uma colina na judeía é uma das raras construções que levou o nome de seu construtor. Uma das construções mais impressionantes é um palácio de 130 metros por 60 que é precedido por uma via com 350 metros que segundo se pensa, este caminho foi aberto especialmente para o funeral do Rei Herodes que teria ocorrido dentro deste local. O líder da comunidade judaica Gush Etzion declarou que esta descoberta tornará o local um dos locais mais procurados turisticamente e religiosamente no país e mostra mais uma vez a relação da região de Gush Etzion com o povo de Israel e sua história.

Destino trágico de Arqueólogo e Pesquisador

Jericó

Netzer escavou em Jericó, a partir de 1973, e continuou a trabalhar lá durante uma década. No oásis de Jericó, ele descobriu novas alas do palácio de inverno de Herodes, bem como um dos Hasmoneus (Macabeus)m o palácio de inverno contendo algumas piscinas e jardins. Este é o principal sítio arqueológico do período da história judaica. O complexo inclui a Sinagoga de Jericó, construída entre 50-70 AC e identificado em 1998 como a mais antiga sinagoga que já foi encontrada nesta região.

Herodium

Herodium é uma montanha artificial enorme, em forma de cone, onde está o palácio e fortaleza construída por Herodes próxima a Belém. De acordo com Flávio Josefo, historiador judaico, Herodium foi o local de sepultamento de Herodes. De 1972-1987, Netzer trabalhou no Herodium, nas escavação das estruturas do palácio. Ele voltou a trabalhar na escavação de 1997-2000, e novamente a partir de 2000-2010. A partir de 2006, as escavações revelaram uma rampa sinuosa ao redor da colina do complexo do palácio menor e estádio. Ao longo de sua trajetória foram descobertos um teatro e uma escadaria monumental, que passava por uma plataforma em ruínas, em maio de 2007, Netzer identificou como provável túmulo do rei Herodes

Netzer encontrou o sarcófago quebrado em centenas de pedaços, como descrito por Josefo, que escreveu que isto foi feito por dissidentes judeus durante a primeira revolta contra os romanos entre 66 e 72 EC.

Em 25 de outubro de 2010, Ehud Netzer caiu e ficou gravemente ferido quando uma grade cedeu na escavação no Herodium. Ele morreu de seus ferimentos, três dias depois no Hospital Hadassah Ein Kerem, em Jerusalém, Israel.