O meat meat de Deus

O tecido costurado a mão é valorizado de forma especial, pois se constrói ponto a ponto.
Os olhos da costureira acompanham, lenta e pausadamente, cada movimento da
agulha que, nem por um rápido momento, escorrega da sua mão visto que o
propósito está definido na sua mente quanto à tarefa a se executar e, pouco a
pouco, gradativamente, os fios vão sendo entrelaçados regularmente até que o
trabalho seja concluído. Há, então, o alívio do final feliz, a agradável
sensação do dever comprido. A propósito, o hebraico diz: “Sof tov, kol tov” – fim bom, tudo bom.

Certamente, a costura industrial, com modernas
máquinas elétricas, numa atividade em série, não tem o mesmo primor do trabalho
manual, artesanal. Trata-se da experiência passo a passo e da aventura de
conquistas por etapas!

Na caminhada da
vida cristã, surge esse mesmo princípio exemplificado na Bíblia quando o velho
e experiente Yaakov fala que seguiria depois, devagar “no passo do gado e das crianças” (Gênesis 33:14), demonstrando, na
prática, a conquista por etapas, mão a mão, palmo a palmo, passo a passo, pouco
a pouco. No propósito de conquistas e vitórias espirituais e materiais, pode-se
desejar que tudo ocorra num passe de mágica, mas não é bem assim, pois a fé tem
raiz, a fé tem história.

Deus tem
treinamento de fé para todos nós. Ele mesmo nos coloca diante de montanhas,
vales e outros desafios para que os conquistemos no dia-a-dia avançando no
crescimento, subindo degraus na desafiante e emocionante caminhada com Deus, para que o teste da nossa fé – fé mais
preciosa do que o ouro, seja achada em agradável louvor ao Senhor
(I Pedro
1:7).

No capítulo 7 de
Deuteronômio, Deus, falando e reforçando quanto à destruição das sete nações
mais numerosas e poderosas do que Israel, adverte que a conquista e a vitória
seriam certas, porém nada aconteceria rapidamente como mostra no versículo 22 –
E o Senhor, teu Deus, lançará fora
estas nações, pouco a pouco (meat meat), de diante de ti; não poderás destruí-las
todas de pronto, para que as feras do campo não se multipliquem contra ti”.

“MEAT MEAT”! Pouco a
Pouco! O “meat meat” de Deus aponta sempre para conquistas por etapas. É o seu
estilo gradativo de fazer-nos crescer nos seus eternos propósitos, para que,
verdadeiramente, saibamos valorizar as mínimas coisas da vida e, assim,
possamos dizer como o salmista: “Bendize,
ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum de
seus benefícios” (Salmo 103:2).

O progresso da
vida cristã acontece pouco a pouco; o estágio que Ele tem para nós é, muitas
vezes, longo e demorado comparado a uma interminável costura a mão, ponto por
ponto. O querer imperioso que reina no eu de cada ser humano deseja que tudo
aconteça ou se manifeste de uma vez, como o rápido abrir de uma cortina ou o
destampar de uma panela grande onde tudo está pronto para ser consumido! Mas
Deus não tem “fast food de fé” para
ninguém no seu reino e, também, nunca abriu exceção alguma; no caso de dúvida,
consulte, por exemplo, José (o menino-adolescente, de túnica colorida, mimado
do pai): “Sua alma entrou em ferro” (Salmo
105:18), na versão inglesa. E alguém disse sobre este fato: “O ferro está entrando em sua alma para
fazê-la forte e corajosa
”. Mas, meat
meat,
José, sendo treinado na Escola de Deus, tornou-se o homem mais
importante do mundo! O então jovem Davi é um outro exemplo desse processo.
Desde que matou o gigante Golias, não teve mais sossego na vida, foi perseguido,
cerca de 14 anos, dia e noite, pelo doentio e ciumento rei Saul (como se procura uma pulgaI Samuel 24:14). E a consulta nesse
sentido prosseguirá, em resumo, em Hebreus capítulo 11, com a extensa lista dos
heróis da fé.

Na longa jornada
da vida cristã, entre os obstáculos que surgem, dois se fazem sempre presentes:
desânimo e dúvida (incredulidade)! O capítulo 7 de Deuteronômio que nos adverte
Se disseres no teu coração: Estas
nações são mais numerosas do que eu; como as poderei lançar fora?”
(verso
17) deve ser associado à mensagem de Provérbios 23.7-a: ”Tal como imaginou na sua alma, assim é” (no caso, imaginação
negativa…). Deus, na Sua onisciência, conhece o pensamento das pessoas. A
fixação dos obstáculos constitui-se em grande empecilho pelo surgimento da
dúvida, da incredulidade, do espírito de impossibilidade e, finalmente, do
desânimo que afastam da conquista firme, resignada, meat meat, pouco a pouco!

Sejam quais
forem as situações, Deus diz: “Nunca te deixarei, nunca te abandonarei”
(Hebreus 13:5-b). Também é rica e preciosa a promessa de Filipenses 1:6 e 2:13
– “Aquele que em vós começou a boa obra”
e
“Deus é o que opera em vós tanto o querer como como o efetuar”.
Sim,
não estamos sozinhos: contamos sempre com o apoio pessoal de Deus. [email protected]
(ABC-Paulista 28 de dezembro de 2008)

Os comentários estão encerrado.