Operação militar da Turquia continua

A rede libanesa al-Miyadin informou que as tropas do exército sírio entraram na cidade de al-Raqqa, no norte, e montaram vários postos de observação. Anteriormente os sírios entraram no que era considerada a capital do ISIS, a cidade foi conquistada em 2017 pelas forças curdas. Além disso, o exército sírio tomou bases americanas abandonadas no nordeste da Síria. Alguns dias atrás, o regime de Assad concordou em ajudar os curdos a repelir a invasão turca, permitindo que o exército sírio retornasse à região.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que a Rússia respeita o “direito da Turquia de tomar medidas para garantir sua segurança”. No entanto, Peskov observou que a Rússia esperava que a operação turca no nordeste da Síria fosse não fosse tão “desproporcional”.

Ontem, o presidente russo, Vladimir Putin, conversou com Recep Tayyip Erdogan da Turquia, e marcou um encontro com ele nos próximos dias para discutir os desenvolvimentos recentes na Síria.

O presidente turco, Erdogan, disse que a Operação “A Primavera da Paz”, na qual Ancara começou contra as forças curdas no nordeste da Síria, só terminará após o estabelecimento da “zona de segurança” ao longo da fronteira entre os países. Ele disse que: “Nenhuma força pode parar a operação na Síria até atingirmos nossos objetivos”.

A Turquia, que busca estabelecer uma “zona segura” e mover milhões de refugiados sírios que vivem em seu território, define as forças curdas como uma organização terrorista e exige que sejam removidas da fronteira com a Síria.

Além disso, as autoridades turcas prenderam 24 pessoas por “espalhar propaganda negra” nas redes sociais contra a Operação Primavera da Paz, que está sendo travada contra as forças curdas no nordeste da Síria. Eles são suspeitos de “propaganda a favor de uma organização terrorista” e “incitar o público ao ódio e hostilidade”. Foi assim que a agência de notícias turca “Andulo” relatou as manifestações. Desde o início da operação, as autoridades turcas iniciaram uma investigação contra centenas de pessoas que criticaram o regime, incluindo legisladores curdos, e detiveram 186 pessoas.

O que está ocorrendo hoje na Turquia não passa de um regime totalitário, que fez uso de eleições democráticas para “legalizar” um ditador no poder.

Foto: Ancara, capital e sede do governo turco, PixaBay

1 comentário em “Operação militar da Turquia continua”

Os comentários estão encerrado.