Parlamentar árabe preso após contrabandear celulares para terroristas

Foto: Orrling, Wikipedia

Parlamentar árabe israelense foi preso após ser filmado contrabandeando celulares para terroristas na prisão. Basel Ghattas de 60 anos é um político árabe cristão ligado ao partido Balad, uma bancada de extrema esquerda em Israel.

Basel Ghattas atualmente servia como um membro do Knesset em uma aliança comum com outros partidos árabes. Nesta semana ele perdeu sua imunidade diplomática e foi preso depois que ele ter sido filmado em vídeo fornecendo aos prisioneiros de alta segurança palestinos, celulares e cartões SIM, o que é considerado um crime grave.

Basel Ghattas é um árabe cristão, original de Rameh, um vilarejo na Alta-Galiléia. Durante a escola secundária estabeleceu o Comitê Nacional de estudantes árabes de Escolas de Segundo Grau com seu primo, Azmi Bishara. Durante seu tempo na universidade, ele também criou grupos de estudantes árabes.

Depois de terminar a universidade, abriu uma empresa de engenharia em Rameh. Na idade de 22 anos foi elegido líder adjunto do conselho de cidade como um membro de Rakah, que se transformou mais tarde em Maki. Ele foi expulso do partido em 1990 depois de desafiar sua postura pró-soviética. Ele ajudou então a fundar Brit Shivyon, um movimento judeu-árabe de curta duração, antes de se tornar um membro fundador de Balad em 1995.

Mais tarde, ele participou do Technion, um dos institutos de tecnologias mais prestigiados de Israel, onde obteve o doutorado em engenharia ambiental, e se juntou à Galilee Society, uma ONG envolvida em questões de saúde e meio ambiente com a comunidade árabe. Em 2007 ele estabeleceu Malakom, a única revista de negócios voltada para a comunidade árabe israelense.

Em 22 de dezembro de 2016, poucas horas antes do parlamento de Israel votar para retirar a imunidade de Ghattas, ele renunciou à imunidade parlamentar para as investigações. Foi preso pouco depois, após a polícia israelense ter encontrado os 12 celulares e 16 cartões SIM com os prisioneiros de segurança palestinos que ele havia. Ghattas confessou as acusações e enfrentará o tribunal sob as acusações de ajudar terroristas, cumplicidade em crime, práticas enganosas, violação de confiança e violação do Código de Serviço de prisão, além de ser provavelmente ter seu mandato parlamentar caçado.

Basel Ghattas traiu os árabes israelenses, traiu o povo de Israel, traiu o Estado e o Governo de Israel.