Parlamentar israelense: Foram os palestinos que crucificaram Jesus

A presidente da bancada feminina do partido HaBayit HaYehudi em Israel, Shuli Moalem-Refaeli fez a seguinte declaração aos meios de comunicação: “Os árabes em Israel e no exterior têm um registro glorioso de prejudicar locais sagrados judaicos, cristãos e muçulmanos. Eles também têm um impressionante recorde de reescrever a história de uma forma que envergonha as instituições internacionais. ”

Jerusalém é Palestina então foram os Palestinos que crucificaram Jesus

Se os árabes querem negar a conexão judaica com o Monte do Templo e Israel, eles devem dar um passo adiante, ela acrescentou: “Se nós nunca estevivemos aqui e Jesus era um palestino, então eu sugiro que a UNESCO condene os palestinos para crucificar Jesus. ”

O ministro da Educação e líder do partido HaBayit HaYehudi, o parlamentar Naftali Bennett chamou a decisão da UNESCO de “uma negação da história, e a história vai apagar esta decisão embaraçosa.

“Uma coisa é permanente: Jerusalém é a capital de Israel para sempre. Portanto, a minha decisão de suspender nossas atividades com a UNESCO está de pé. Nós não iremos mais cooperar com um corpo que nega a conexão do povo judeu com Jerusalém “, Bennett declarou.

O presidente do partido Yesh Atid, o parlamentar Yair Lapid chamou a decisão da UNESCO “um absurdo”, dizendo que “não só é anti-Israel, mas também é anti-história”.