Passagem de Adam e Ponte de Adam

Na foto acima, a colina verde é a antiga cidade bíblica de Adã(Adam) na Jordânia, vista de Israel.

A passagem de Adam ou Adão é uma região estreita entre o encontro de dois riachos importantes com o Rio Jordão, e foi cenário de diversos importantes eventos desde a antiguidade até os dias de hoje na Terra Santa.

O Povo de Israel Passou por Adam

“As águas que vinham de cima, parando, levantaram-se num montão, mui longe, à altura de Adã(Adam), cidade que está junto a Zaretã; e as que desciam ao mar da Arabá, que é o Mar Salgado, foram de todo cortadas. Então o povo passou bem em frente de Jericó.

Josué 3:16

Jacó Passou por Adam

Desde a antiguidade, a passagem de Adam, Adão ou Adã, é uma passagem natural que facilita muito para os que cruzam a região. Além disso ocorre no local um fenômeno de tempos em tempos, em que após grandes tempestades, um barranco fecha a passagem de água do Jordão por algumas horas. Há registros históricos deste fenômeno

Foi, pois, o presente adiante dele; ele, porém, passou aquela noite no arraial. Naquela mesma noite levantou-se e, tomando suas duas mulheres, suas duas servas e seus onze filhos, passou o vau de Jaboque. Tomou-os, e fê-los passar o ribeiro, e fez passar tudo o que tinha. Jacó, porém, ficou só; e lutava com ele um homem até o romper do dia. Quando este viu que não prevalecia contra ele, tocou-lhe a juntura da coxa, e se deslocou a juntura da coxa de Jacó, enquanto lutava com ele. Disse o homem: Deixa-me ir, porque já vem rompendo o dia. Jacó, porém, respondeu: Não te deixarei ir, se me não abençoares. Perguntou-lhe, pois: Qual é o teu nome? E ele respondeu: Jacó. Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; porque tens lutado com Deus e com os homens e tens prevalecido. Perguntou-lhe Jacó: Dize-me, peço-te, o teu nome. Respondeu o homem: Por que perguntas pelo meu nome? E ali o abençoou. Pelo que Jacó chamou ao lugar Peniel, dizendo: Porque tenho visto Deus face a face, e a minha vida foi preservada.

Genesis 32:21–30

Passagem do Jordão na Antiguidade

Até o período romano não havia pontes em Israel e a palavra ponte(Gesher, lê-se guesher) não é mencionado na Bíblia, a passagem do Jordão fazia-se a pé no verão, principalmente em lugares onde não era profundo e fluxo era fraco. Durante o período romano haviam cruzamentos por balsas até a época bizantina em Israel em que aparece em um novo tipo de corda bamba em ambos os lados do rio Jordão, onde os passageiros foram entravam no barco, e o barco era aparentemente arrastado de um lado para o outro lado do rio. Isto aparece no mosaico do mapa de Madaba, e isto reapareceu nos tempos modernos também. Além disso, a primeira vez que se construiu pontes  de cordas sobre o rio Jordão foi quando em 1183 Saladin invadiu liderando os exércitos árabes através do Vale do Jordão e em combates com os cruzados.

As pontes de cordas continuaram a servir como o principal meio de atravessar o Jordão durante o período árabe e turco até o final do século XIX não havia pontes normais no rio Jordão ao sul do Mar da Galiléia, e todo o tráfego entre as duas margens do Jordão feito por balsas, e estas continuaram a ser usadas até mesmo depois que as pontes foram construídas sobre o Jordão durante o Império Otomano.

Ponte de Adam

Esta ponte é mais antigas pontes do Vale do Jordão, e foi fundada pelo governante Baibars, o mameluco, em 1266 para permitir que o eixo circulação segura entre A-Salat na Jordânia e Siquém em Israel.Os acadêmicos bíblicos identificam a ponte “Adam” com as ruínas identificadas com Tel-A-Damia, cerca de 1 km a leste da ponte, que existia quando os filhos de Israel cruzaram o rio Jordão. A ponte antiga tinha 93 metros de comprimento e ainda estava de pé no início do século XX, mas não foi usado porque a rota passou para o leste ao rio Jordão e a ponte permaneceu a dezenas de metros dela.

Em 1933, foi anunciado no início do trabalho de uma nova ponte, e em 1934 foram pagos 12.000 libras para a renovação da ponte, e abrir uma Estação Aduaneira. Em 1935, concebido para colocar no lugar da ponte Adam a ponte velha que estava onde hoje é a ponte de Allenby, e pois de substituí-la por uma nova ponte.

Na noite das pontes, em Junho de 1946, a ponte explodida por uma unidade especial do Palmach(força que deu base a formação do Exército de Israel). Uma carga foi anexada a ponte de suspensão, mas não explodiu. No dia seguinte, quando um oficial britânico tentou neutralizar o dispositivo, ele explodiu, a ponte desabou, o oficial britânico morreu.

Os britânicos construíram outra perto da nova ponte, através dela invadiram Israel as do exército árabe de socorro em janeiro e fevereiro 1948. O Alto Comissariado Alan Cunningham ordenou o a polícia do mandato britânico bloquear a ponte e evitar a entrada de veículos do exército do socorro, mas as forças da Legião Árabe desmantelaram as barreiras e permitiram exército do socorro entrar com suas forças. Através da ponte invadiram a Legião Árabe em maio 1948 e a força de invasão do Iraque. Durante a Guerra do Suez, a Síria passou duas divisões de tanques por esta ponte para a Samaria.

Na Guerra dos Seis Dias, a Força Gaash de Israel capturou a ponte e ela foi detonada pela Brigada 45 das Forças de Defesa de Israel. Depois da guerra, com a formação de uma política de “pontes abertas”, para a transferência de mercadorias, uma pequena ponte de ferro foi re-construída em janeiro de 1968,.

A ponte serviu como a passagem de mercadorias e pessoas, mas as batalhas paralelas ocorreram associadas com os terroristas palestinos e confrontos entre o exército e a Legião Árabe. Durante a operação de ponte Karama foi bombardeada pelos jordanianos que queriam impedir a passagem de tanques israelenses sobre ela, e a ponte foi danificada. A travessia foi fechada até julho de 1968. Durante Setembro Negro em 1970 a ponte esteve fechada durante vários dias por causa das batalhas. No início de 1975, os jordanianos realizaram trabalhos de manutenção na ponte após as enchentes no rio Jordão. Emendas adicionais foram feitas em janeiro de 1976.

Em meados da década de 1990, a atividade comercial foi transferida da Jordânia para a Ponte de Allenby. A Ponte de Adam e o terminal adjacente foram completamente fechados e hoje há uma base da IDF no local. A travessia é da responsabilidade da IDF, ao contrário de outros postos de fronteira entre Israel e Jordânia que são de responsabilidade da Autoridade Aeroportuária. A área da ponte está localizada além da cerca de segurança, e não têm meios para acessá-lo. Segundo a imprensa a partir de 2007 foi feito um plano para reconstruir a ponte de passagem das mercadorias, Em cooperação com o governo do Japão. Mas nada foi feito até hoje e o local continua inacessível, nossa equipe conseguiu visitar o local e trazer para vocês, imagens exclusivas da passagem de Adam.