Plano de PAZ não foi anunciado e palestinos já se recusam até mesmo a negociações

A liderança árabe atual nos territórios da Judéia e Samaria está se mostrando exatamente como seus antecessores, Abu Mazen(Abbas) e seus comparsas estão se recusando a comparecer a reunião que definirá o primeiro estágio das conversações de PAZ, em resumo, eles estão direcionados a guerra.

A conferência que está sendo realizada está sendo chamada de “Prosperidade para Paz”. Esta é a primeira etapa econômica do plano de paz norte-americano, que será apresentado na capital do Bahrein, Manama, em cerca de um mês.

A Casa Branca informou que o secretário do Tesouro dos EUA estará liderando em 25 de junho uma oficina de dois dias intitulada “Conferência Prosperidade para a PAZ”, em favor dos palestinos e os povos do Oriente Médio em geral. Nesta conferência não será tratados de aspectos políticos ou definição de fronteiras, somente de questões econômicas e sociais, afim de melhorar a vida dos árabes que vivem nos territórios da Judéia e Samaria.

A agência de notícias oficial da Arábia Saudita informou no sábado que o ministro da Economia da Arábia Saudita, Mohammed bin Mazid al-Tuwaijiri, participaria do Workshop da Prosperidade para a Paz no Bahrein. De acordo com o anúncio do ministério, isso é uma continuação do apoio contínuo ao povo palestino.

O Ministério das Relações Exteriores dos Emirados Árabes Unidos também acolheu a conferência econômica, em um comunicado divulgado pela agência estatal de notícias.

Israel e Omã também deverão participar da Conferência Prosperidade para a PAZ

Jared Kushner, o genro do presidente Trump e a força motriz por trás do plano de paz, disse que a conferência será “uma oportunidade para apresentar as nossas ideias para criar uma maior vitalidade econômica na região.”

Kushner disse que o objetivo da conferência “para construir um consenso sobre as melhores medidas a comunidade internacional poderá desenvolver a base para um futuro próspero.

O povo árabe palestino, como todas as pessoas no Oriente Médio, merecem um futuro melhor, respeito e a oportunidade de melhorar suas vidas, disse Kushner a imprensa.

Os líderes da Autoridade Palestina estão dizendo que não irão participar da conferência, mesmo se tratando apenas de uma conferência econômica, o que faz a mesma perder o sentido total, afinal de contas, eles seriam os principais beneficiados por ela.