Portugal cada vez mais judaico

O PRIMEIRO HOTEL LUSO-ISRAELENSE SERÁ NA CIDADE DO PORTO

Há israelenses investindo milhões de euros na cidade do Porto, no norte de Portugal. O interesse pela segunda maior cidade do país cresceu de tal forma que está a ser planejado a construção de um hotel voltado especificamente para atender turistas judeus.

O Jornal de Notícias, um dos maiores jornais de Portugal, informou que há duas semanas o empresário israelense Mordehay Mizrahi adquiriu dois prédios no centro histórico do Porto, onde pretende instalar um hotel dentro dos padrões judaicos, ou seja, com cozinha e restaurante kosher. Um outro investidor, David Ben Dahan comprou, no mês passado, um terreno no valor de 300 mil euros, com o objetivo de construir um edifício de 16 apartamentos de dois quartos, num investimento que ronda os dois milhões de euros.

À frente dos dois negócios está um empresário português de origem israelense chamado Eliran Graedge. Vivendo em Portugal há 11 anos, Graedge é sócio de uma empresa que se dedica à restauração de edifícios antigos. “Num ano, tivemos perto de dez investidores israelenses a trabalhar conosco no Porto”, disse o luso-israelense ao Jornal de Notícias.

Atual Sinagoga Makor Haim - Fonte da Vida
Atual Sinagoga Makor Haim – Fonte da Vida

Graedge disse que “os judeus gostam de negociar e no Porto podem fazer-se grandes negócios”. Acrescentou ainda que além de dispor de um bom dinheiro, os judeus têm a prática de investir das mais diversas formas, inclusive em imóveis.

Para Graedge, em Israel não é difícil encontrar chefes de família que aos 45 anos já tenham meio milhão de euros, algo incomum em Portugal, mas não tão surpreendente na Terra Santa.

A escolha de Portugal como um todo e da cidade do Porto em particular, como pontos ideais para o investimento judaico se explica também pela facilidade na obtenção da nacionalidade portuguesa, através da comprovação de descendência sefardita.

LEIA TAMBÉM: PORTUGAL SEMI-KOSHER

O interesse pelo passado judaico de Portugal já vem motivando um crescente aumento do turismo histórico-religioso entre os judeus, fato já destacado numa reportagem anterior do Notícias de Sião. Agora, o boom que começou com o turismo estendeu-se também para o setor imobiliário. E esta confluência de fatores acabará por fazer surgir nos próximos cinco anos um bairro totalmente judaico na cidade do Porto. Esta é a opinião de Eliran Graedge. E o ponto de partida será a construção do hotel até o final de 2018.

Antiga Sinagoga do Porto, posteriormente se tornou uma cadeia
Antiga Sinagoga do Porto, posteriormente se tornou uma cadeia

DO PORTO JUDEU AO PORTO DOS JUDEUS

Nos Açores há um povoado chamado Porto Judeu. Trata-se de uma vila localizada no concelho de Angra do Heroísmo, na costa sudeste da Ilha Terceira. Há duas versões para o nome desta vila, ambas com origem na chegada Jácome de Bruges, o primeiro capitão donatário da ilha, em 1458.

A primeira versão diz que o mar estava extremamente revolto e de difícil atracagem. E como àquela época era comum chamar de “judeu” tudo o que de mal acontecesse, Jácome de Bruges teria por isso dado ao local o nome de Porto Judeu.

A segunda versão diz que no navio onde se encontrava Jácome de Bruges havia também um marinheiro judeu. O capitão teria se voltado para ele e dito: “Salta, judeu, senão salto eu.” Em resposta, o judeu teria dito: “Salto e o porto será meu.”

Lenda ou não, o fato é que aquele porto, pela coragem de um marinheiro israelita, acabou por receber a denominação de Porto Judeu. Da mesma forma que agora, pela coragem de investidores israelitas, a cidade do Porto está se encaminhando para se tornar um Porto dos Judeus.

Fonte: Notícias de Sião – Fotos: GoogleStreet e Notícias de Sião

Os comentários estão encerrado.