"Presente Palestino da Páscoa": 1 Atentado, 1 Morto e Apedrejamento no Monte do Templo

Curso Herança Judaica do Novo Testamento
A Família de Barukh Mizrakhi
A Família de Barukh Mizrakhi

Os palestinos não têm jeito mesmo, como sinal de “interesse” na PAZ com o Estado de Israel, iniciaram muito mal esta Páscoa Judaica, ontem no final da tarde, quando a família de Barukh Mizrakhi estava a a caminho de comemorar a Ceia da Páscoa judaica com seus familiares na região de Hebrom, o pior aconteceu.

Baruch tinha acabado de atravessar a barreira de segurança de Tarkumiya, passado por uma rotatória e então, terroristas palestinos começaram a atirar contra o seu carro que estava cheio com sua mulher e seus filhos, todos felizes indo para celebrar a Festa Judaica.

Baruch levou um tiro e morreu na hora, antes disto ele ainda conseguiu avisar sua esposa de que estavam atirando, ela por sua vez não se rendeu. Hadas Mizrakhi, esposa de Baruch pediu as crianças para desconectarem os cintos de segurança e se abaixarem no chão de sua van, ela conseguiu dominar a direção do carro mesmo com o madiro morto no acento do motorista, usou a redução de marcha e o freio de mão para parar o veículo e chamou socorro.

Hadas Mizrakhi ficou ferida na mão e quando soldados das Forças de Defesa de Israel chegaram para socorrer ela pediu que retirassem as crianças em um carro blindado para que não vessem que o pai esta deitado morto no local.

Baruch Mizrakhi era um alto oficial das Forças de Defesa de Israel e serviu ao país por cerca de 25 anos, ontem sua família foi dilacerada por terroristas cruéis, Hadas, sua mulher relatou que a única coisa que pensou ao ver o marido ser assassinado foi de que ele gostaria que sobrevivessem, crescessem, construíssem suas famílias, fossem bem sucedidos e esta seria a melhor resposta para estes terroristas.

Uma família linda, um casal e seus cinco filhos foram cruelmente atacados ontém, no início das comemorações da Pásco Judaica que dura sete dias em Israel, seja a memória de Baruch Mizrahi abençoada!

Apedrejamento no Monte do Templo

Além do atentado que custou a vida do oficial da IDF Baruch Mizrakhi, ontem, o Monte do Templo teve que ser interditado pela polícia de Israel após um grupo de muçulmanos começarem a jogar pedras contra os visitantes turistas na região.

Esta é a segundo vez esta semana que os palestinos tentam praticar apedrejamento de pssoas no Monte do Templo, o local mais sagrado para os Judeus do Mundo.

Esta onda de violência está crescendo desde que o Estado de Israel concordou em liberar prisioneiros palestinos em troca do avanço nas negociações de PAZ. Na última semana, após dezenas de tentativas, as negociações de PAZ chegaram a um beco sem saída com os palestinos “exigindo” a devolução de Jerusalém Oriental e o não reconhecimento do Estado de Israel como estado judaico, duas coisas que o governo de Israel não pode tolerar e aceitar.

Bem como no ano 2000, quando após as negociações entre o então Primeiro Ministro de Israel, o Gen. Ehud Barak e Yasser Arafat fracassaram, o que levou a segunda intifada palestina, a maior onda de violência e terrorismo palestinos até os dias de hoje, o Estado de srael teme que uma nova intifada esteje ás portas.