Presidente de Israel recusou pedido de clemência de ex-Primeiro Ministro de Israel

Transparência judicial  em Israel – Reuven Rivlin, o Presidente do Estado de Israel recusou hoje o pedido de clemência de ex-Primeiro Ministro de Israel, Ehud Olmert.

A Rejeição do pedido de libertação imediata do ex-primeiro-ministro segundo o presidente é de que “não é o lugar para conceder o pedido de perdão.” Uma discussão mais aprofundada será realizada em caso de liberdade condicional de Olmert em junho. Isto significa que a infâmia imposta sobre ele, além da prisão permanecerá e impedirá o retorno de Olmert à política, isso é porque a Comissão não vai limpar o ex-primeiro ministro da penalidade de infâmia.

No pedido formulado em Janeiro para Reuven Rivlin do pedido de clemência que foi apresentado em nome de Olmert, que foi condenado por aceitar subornos e abuso de confiança. O porta-voz do presidente disse então que “o pedido é processado com as partes relevantes, como solicitado um perdão e transferido para o Ministério da Justiça para revisão.”

Mesmo tendo Ehud Olmert recebido o apoio da atual Ministra da Justiça de Israel, Ayelet Shaked, o pedido foi recusado pela única autoridade que poderia fazê-lo, o Presidente de Israel, isso significa que Olmert deverá ficar na cadeia até pelo menos a metade do ano e que sua carreira política está arruinada de vez. As informações foram divulgadas amplamente pelos dois principais jornais de Israel, o NRG e o Ynet.