Produtor e Estrela de Hollywood era Espião de Israel

Curso Herança Judaica do Novo Testamento

Arnon Milchan ( hebraico : ארנון מילצ'ן; 6 de dezembro de 1944) é um israelense e americano produtor de cinema em Hollywood. ele produziu mais de 120 filmes inteiros e se tornou um multi-bilionário, além disso, nas horas vagas também foi um ex-agente chave na inteligência israelense, desde meados da década de 1960 até meados da década de 1980. Os filmes “Clube da Luta” (1999) e “Los Angeles: Cidade Proibida” (1997), e muitos sucessos, como “Uma Linda Mulher” (1990), “Vovó… Zona” (2000), “Sr. e Sra. Smith” (2005) e “Alvin e os Esquilos” (2007), o produtor Arnon Milchan tinha uma outra ocupação em Hollywood: ele era um espião israelense.

Milchan, que produziu mais de 120 filmes desde 1977, declarou esta semana em entrevista ao programa israelense “Uvda” (Fato), que mesmo quando estava negociando novos projetos para Hollywood, também era responsável pela compra de equipamentos para a construção armamento nucleare para o Estado de Israel.

“Você sabe o que é ser um cara de 20 e poucos anos cujo país decidiu deixá-lo ser um James Bond? Wow! A ação! Isso foi emocionante”, afirmou o produtor. “Eu fiz pelo meu país e me orgulho disso”, completou.

De acordo com o produtor, ele não era o único espião infiltrado em Hollywood, será que ainda existem outros nos dias de hoje?

Milchan também admitiu que usou de sua influência em Hollywood para ajudar o regime do Apartheid na África do Sul, o que sujou a sua imagem, ele confessou estar arrependido disso, isto foi feito como troca de ajuda para Israel adquirir urânio.

Quando questionado se sua co-produção no drama de época “12 Anos de Escravidão” ele declarou que era uma forma de compensar seus error por ter apoiado no passado o regime racista.

Além de “12 Anos de Escravidão”, os filmes mais recentes produzidos por Milchan são o thriller “Linha de Ação”, e a comédia “Os Estagiários”, e até mesmo o inédito épico bíblico “Noé”.

Milchan nasceu na pequena cidade de Rehovot, durante o perpiodo do Mandato Britânico na Terra de Israel, em 1944. Sua família é judia. Seu pai era dono de uma empresa de fertilizantes, que Arnon Milchan transformou-a em um sucesso no negócio de fertilizantes químicos.

Ele também recebeu um diploma da Escola de Economia de Londres, antes de ter sido recrutado para Lakam, um departamento altamente secreto na já secreta organização de inteligência israelense, o Mossad, responsável pela obtenção de tecnologia e material para o programa nuclear de Israel, e outros programas altamente secretos.

Milchan também é o proprietário dos direitos de transmissão da WTA. Ele era casado com a modelo Brigitte Genmaire. Ele agora é casado com a ex-tenista Sul Africana profissional Amanda Coetzer. Ele é dono da rede que transmite a programação da televisão israelense para os Estados Unidos e Canadá. Ele disso ele também é proprietário de uma parte da TV Canal 10 de Israel, e um ex-proprietário da Puma, a linha de materiais e roupas esportivas.

Arnon Milchan se envolveu no negócio do cinema americano em 1977, depois de uma introdução ao produtor americano Elliot Kastner. O mais notável entre as colaborações do cinema de Milchan foi seu primeiro trabalho com Martin Scorsese.

Ele desenvolveu uma estreita amizade com Robert de Niro, e os diretores Roman Polanski, Sergio Leone, Terry Gilliam e Oliver Stone. Milchan começou a sua própria companhia de produção, em 1991, chamado New Regency Productions. Através de sua empresa Regency, em parceria com a Warner Brothers, e mais tarde com Rupert Murdoch da 20th Century Fox, e outras oportunidades de negócios, tais como a Puma AG, Milchan atingiu um patrimônio líquido estimado em cerca de 4,2 bilhões dólares em 2013, e é listado como uma das 290 pessoas mais rica do mundo, e a quarta pessoa mais rica em Israel pela Revista Forbes.

A especulação sobre o envolvimento de Milchan no tráfico de armas e atividades de inteligência foi desencadeada após a denúncia, em 1985, do Dr. Richard Kelly Smyth, um executivo aeroespacial e cientista que tinha feito transferências ilegais de Krytrons (gatilhos nucleares) através de uma das empresas de Milchan. Estes boatos foram confirmados em um livro publicado em Julho de 2011, que o Sr. Milchan estava de fato envolvido em espionagem, para obter tecnologia sensível e materiais para o programa de armas nucleares de Israel.

Em entrevista sobre as atividades de inteligência do Milchan, o presidente israelense, Shimon Peres, declarou:
“Arnon é um homem especial. Fui eu quem o recrutei …. Quando eu estava no Ministério da Defesa, Arnon esteve envolvido em inúmeras atividades de aquisição relacionadas com a defesa e operações de inteligência. Sua força está em fazer conexões nos níveis mais altos …. Suas atividades nos deu uma enorme vantagem, estrategicamente, diplomática e tecnologicamente “. (Entrevista datada de 8 de fevereiro de 2010, documentada por Meir Doron e de Joseph Gelman “Confidencial: Secret Agent virou Hollywood Tycoon Arnon Milchan” p xi.).

Dois anos depois, em 25 de novembro de 2013, no programa de documentário de Israel canal 2 Uvda, o próprio Sr. Milchan admitiu publicamente diante da câmera a realização de operações secretas autorizadas por israelenses, entre outras coisas, a obtenção de materiais e tecnologia de armas nucleares para o governo israelense ao longo dos anos 1970 a meados dos anos 1980. Da mesma forma confirmou publicamente diante da câmera as reivindicações centrais do livro “Confidencial”, que tinham sido publicado anteriormente. O anúncio despertou o interesse da mídia mundial na história.

Não tenho dúvida alguma de que o próximo e mais bem sucedido filme sobre espionagem deverá ser baseado na vida de Arnon Milchan, Produtor e Estrela de Hollywood era Espião de Israel.