Projeto Canal dos Mares se Iniciou

Curso Herança Judaica do Novo Testamento
Salvando o Mar Morto
Silvan Shalom e Benjamin Netayahu

Nesta manhã (09/12/2013), o Ministro de Cooperação Regional, Silvan Shalom, anunciou o início de um dos projetos ambientais mais importantes no Estado de Israel, talvez o mais importante até hoje realizado no país e que influenciará toda a região.

Silvan Shalom delcarou aos meios de comunicação: “Estamos agora na cerimônia de assinatura que não é menos doque um desenvolvimento histórico”, disse ele nesta manhã ( segunda-feira 09-12-2013), o ministro de Cooperação Regional, Silvan Shalom afim de salvar o Mar Morto.

Referindo-se à empreendimento do Canal dos Mares. Em entrevista à Rádio do Exército, Galei Tzhal, Shalom acrescentou que “o programa ganhou bênção do Primeiro Ministro de Israel, de Mahmoud Abbas, o líder dos palestinos e, claro, do rei da Jordânia.”

Israel, Jordânia e a Autoridade Palestina assinaram um acordo para a construção de um encanamento da água do Mar Vermelho para o Mar Morto. Israel vai construir uma usina de dessalinização em Aqaba para abastecer a Jordânia e o concentrado de água dessalinizada será transferido para o Mar Morto para salvá-lo de secagem, de acordo com o relatório publicado na última terça-feira no jornal “Yediot Aharonot”.

Apenas um ano atrás, o projeto sofreu um revés grave. Quando Jordan anunciou que poderia investir no projeto que também é chamado “Canal da Paz ” em somente cinco por cento do valor original do projeto, a Jordânia é um dos países mais pobres do Oriente Médio.

O Sonho do “Canal do Mares” foi concedido por Herzl no seu livro “Terra Nova “. Ele se ofereceu para ligar o Mediterrâneo ao Mar Morto e aproveitar as diferenças de altura para gerar eletricidade. Em 1998, foi proposto para cavar um canal do Mar Vermelho para o Mar Morto, projeto que está partido para o início agora.

O esboço do projeto ganhou o apoio entusiasmado de Shimon Peres, que, em 2000 como Ministro da Cooperação Regional, recebeu o apoio do Governo da Jordânia. Ele é uma solução combinada para estabilizar o nível do Mar Morto o ritmo perturbador da dessalinização e fortalecer tratado de cooperação com a Jordânia e os Palestinos.

Durante a Cúpula Mundial da Terra, realizada no Rio de Janeiro há 11 anos atrás, Roni Milo , que era então ministro da Cooperação Regional, apresentou junto com seu colega jordaniano, um programa para combater a escassez de água da Jodânia, e que o país iria construir uma usina de dessalinização em Aqaba trataria 2050 milhões de metros cúbicos de água. Ao longo do canal seriam construídas hidrelétricas e termelétricas afim de gerar eletricidade. A água dessalinizada será transferida para o Mar Morto, e com isso seria evitada sua secagem.

Nos últimos anos, o Banco Mundial já investiu em um estudo 16 milhões de dólares para analisar a viabilidade de engenharia, projeto econômico e ambiental que custariam bilhões, mas o projeto esteve congelado até agora, e hoje ele está se iniciando.