Recessão Econômica em Israel

Era somente uma questão de tempo para a Recessão Econômica em Israel dar as caras e mostrar dados sombrios do futuro econômico do país. O fato é que muitos, a pesar da falsa ajuda do governo, já estão passando dificuldades, mas o governo não para sua máquina de cobrança de impostos é claro, principalmente tendo que alimentar o governo mais inflacionado da curta história do país.

A OECD – Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico já havia previsto que diante da crise pandêmica do Coronavírus, a economia do Estado de Israel poderia encolher nada menos que 8% durante este ano, o que levará a uma severa desaceleração econômica no país.

Juntando-se ao relatório da OECD, ontem a noite, um novo relatório, desta vez, interno, mostra um quadro ainda mais preocupante. Segundo os dados que foram divulgados, o Centro de Informações e Pesquisa Knesset, revela um quadro sombrio para a economia do país.

Um grande número em termos econômicos, cerca de 70.000 empresas deverão fechar neste anos de 2020, em comparação com 40.000 novas empresas que já foram abertas este ano. Isto revela um desfalque de 30.000 empresas a menos, o que marca uma profunda recessão e desfalque para a economia, o dado também representa um aumento significativo no poder econômico e na taxa de emprego no Estado de Israel.