Reflexões de Maimônides

Maimônides, nasceu em 1135, em Córdoba, na Espanha Islâmica. Filho de rabinos e compiladores da Mishná, teve o pai, chefe do Tribunal Rabínico de Córdoba, como uns dos seus mestres. Quando ele tinha treze anos a sua família foi obrigada a mudar-se, pois a sua cidade natal foi tomada por perseguições religiosas de almohadas (mulçumanos fanáticos). Por dez anos vagou pelo sul da Espanha, finalmente se instalando em Fez, no atual Marrocos.

Após cinco anos de paz, precisaram sair dessa cidade por intolerância religiosa de seus dirigentes. Foram para Israel, devastada pelas Cruzadas. Então partiram para uma antiga cidade do Cairo, onde encontraram uma relativa paz até o desaparecimento do Rabino Maimon, seu pai. David, o irmão mais novo, passou a sustentar a família para que Maimônides continuasse os seus estudos, mas morreu em um naufrágio. Maimônides não quis tirar vantagem de seu conhecimento religioso, e por isso passou a dedicar-se à Medicina para assegurar o sustento da família. Tornou-se um grande mestre de sua época, e foi médico de sultões e governadores. Seu renome foi além das fronteiras do Egito, onde tornou-se responsável pela comunidade, de onde saiu para ser sepultado em Israel, em 1204.

Dentre a gigantesca obra de Maimônides, a mais importante é o Mishné Torá, primeiro código das leis judaicas composto de maneira didática e sistemática por todas as leis contidas no Talmude. É conhecido também pelos “Comentários da Mishá” , no “Pirkei Avot”, ou “Ética dos Pais”, e pelas suas reflexões no “Guia dos Perplexos”.

Após essa breve biografia, citaremos três preciosas Reflexões de Maimônides a partir de sua obra “Comentários da Mishná”.

Trecho da Mishná:

“Seja o estudo da Lei Divina a tua principal preocupação; fala pouco e faz muito; e recebe toda a gente com afabilidade.”

1.Faça do estudo da Torah seu esforço principal.

Segundo Maimônides “todos os nossos afazeres devem ser organizados de acordo.” Isso quer dizer que as nossas atividades devem se encaixar muito bem de tal forma que proporcionem um tempo mínimo para um diligente estudo da Palavra. “Se não, deixe-os. Nenhum dano resultará dessa omissão”.
Será mais lucrativo exercer uma profissão que permita o estudo da Torah.

2. Diga pouco e faça muito

“Os rabinos dizem: Diga pouco e faça muito como nosso pai Abraão.” A seguir Maimônides cita o exemplo de Gênesis 18.3, quando Abraão avistou três estrangeiros e correu para hospedá-los:

“Ele disse: ‘Senhores, se for do vosso agrado, não continueis sem passar por mim. Permitam que um pouco d’água seja trazida, e lavem seus pés. Descansem sob a árvore. Eu trarei um pedaço de pão para vocês reanimarem-se. Então poderão continuar no seu caminho. Afinal, vocês estão passando por minha casa.’” Gênesis18.3-4

Abraão “prometeu um pedaço de pão, mas trouxe creme* e leite, um bezerro e três medidas de trigo. Os ruins, porém, dizem muito e não fazem nem o pouco.”

3. Seja afável
“Com afabilidade quer dizer que devemos tratar as pessoas com calma e empregar linguagem amável e cortês.”

*coalhada

Prof.ª Gláucia Vilela
http://telahebraica.blogspot.com

Bibligrafia:

1.Comentário da Mishná – Ética dos Pais Sanhedrin – Maimônides, tradução: Alice Frank,Ed. Maayanot, SP,1993.

2.A Torá Viva – O Pentateuco e as Haftarot – Anotado por Rabino Aryeh Kaplan- Editora Maayanot

3.Dicionário Português Hebraico e Hebraico Português-Abraham Hatzamri e Shoshana More-Hatzamri – ed. Sêfer

4.Dicionário Hebraico-Português&Aramaico-Português, Sinodal Vozes, 4ª edição, 1994.

Attachment Size
rambam1.jpg 119.96 KB