Rumores de Guerra: EUA atacará a Síria?

O Ministério das Relações Exteriores de Israel, condenou nesta segunda-feira(10.4.2018) o ataque químico na cidade de Duma pelo regime do presidente sírio, Bashar Al-Assad. O ministério observou que, embora Assad tenha prometido se desarmar, ele continua a usar os meios que ele manteve no passado – e até desenvolve novas capacidades de armas químicas.

O ministério reiterou que “Assad continua a cometer crimes contra a humanidade usando armas químicas, e o último ataque se une a dezenas de casos crimes de guerra química desde que Assad prometeu se desvincular de suas capacidades. O ataque mostra claramente que a Síria continua a possuir capacidades químicas e até mesmo a produzir novas armas químicas”. “A Síria está violando grosseiramente seus compromissos e as decisões da comunidade internacional sobre esta questão”.

Esta é uma afirmação incomum por parte de Israel de que a maioria dos países ocidentais confiam em sua inteligência na arena síria, que está sendo publicada enquanto o presidente americano Donald Trump discute a possibilidade de uma resposta militar na Síria.

Ao mesmo tempo, o presidente dos EUA, Donald Trump, reuniu-se com o alto escalão do comando militar dos EUA e disse que a decisão sobre a resposta militar ao ataque químico seria decidida durante a noite. Trump observou que “os Estados Unidos têm uma variedade de opções militares – e nossa resposta será dura”.

Fontes do governo americano disseram à Reuters que Trump está considerando atacar a Síria junto com outros países – e que especialistas militares apresentaram a ele uma lista de possíveis alvos para o ataque. Mais cedo, o Conselho de Segurança da ONU realizou um debate de emergência sobre o ataque, e o embaixador norte-americano Nikki Haley atacou Assad e disse que “apenas um monstro pode ferir civis propositalmente”.

Nikki Haley também culpou Vladimir Putin e disse que “as mãos da Rússia estão cobertas com o sangue das crianças”. “Chegamos ao momento em que o mundo precisa fazer justiça”, disse Hailey ao Conselho de Segurança das Nações Unidas.

O embaixador russo negou os relatórios e afirmou descaradamente que não houve ataque químico, a Rússia sempre se negará a ser cúmplice com um monstro como Assad. O embaixador Vasily Nebenzia pediu que a organização de não-proliferação de armas químicas voe para a Síria e acompanhe as forças russas e sírias na área. Nebenzia disse que “a calúnia contra a Rússia é pior do que na Guerra Fria”, acrescentando que Moscou havia alertado os Estados Unidos de que qualquer ataque militar na Síria teria sérias conseqüências. Rússia sempre prefere omitir e ganhar tempo para que indícios de ataques químicos desapareçam do que mostrar a realidade, as imagens de crianças mortas espumando pela boca são suficientes para entender o que está acontecendo na Síria.

 

Os comentários estão encerrado.