Sarah Netanyahu será julgada por solicitar refeições caras

Nove meses após a declaração do Procurador Geral do Estado de Israel, Avichai Mandelblit, a Procuradoria do Estado apresentou uma acusação contra a esposa do primeiro-ministro no caso da residência, por fraude e quebra de confiança. Há também acusações contra o vice-diretor geral do Gabinete do Primeiro Ministro.

A esposa doa primeiro-ministro, Sarah Netanyahu é acusada de aceitar refeições em circunstâncias agravadas, fraude e quebra de confiança.

De acordo com a acusação feita contra ela pelo Gabinete do Procurador Distrital de Jerusalém nesta quinta-feira, Sarah Netanyahu encomendou refeições às custas do estado no valor de mais de 350.000 reais, apesar do fato de haver empregada na Residência do Primeiro Ministro uma pessoa responsável para pelas refeições.

A declaração foi emitida pela justiça nove meses depois que o procurador-geral anunciou sua intenção de processá-la, a promotoria também pediu que o julgamento fosse realizado em um painel de três juízes por causa do que foi definido como um assunto de “sensibilidade pública” e a “posição pública da réu”.

Acreditava-se que se Sarah Netanyahu devolver uma quantidade considerável dos 359 mil shekels e aceitar a responsabilidade por suas ações, isso vai facilitar a chegar a uma solução no caso.

Se Sarah Netanyahu for sábia ela aceitará um acordo com a justiça e o governo, evitando um transtorno sem precedentes para ela e seu cônjuge, Benjamin Netanyahu.

Foto: Kobi Gideon, GPO